23°
Máx
12°
Min

Moradores de Matinhos realizam protesto e pedem mais segurança no município

Moradores de Matinhos realizam protesto e pedem mais segurança no município

Moradores do município de Matinhos, no litoral do estado, realizaram um protesto na tarde desta quinta-feira (5), pedindo por mais segurança na cidade. Eles saíram em passeata por várias ruas do município e chegaram a bloquear a BR-277 durante cerca de 40 minutos.

De acordo com Edmilson Ribas, presidente do Conselho Comunitário de Segurança de Matinhos (Conseg), que organizou o protesto, o município sofre com o problema de insegurança há algum tempo. “Têm apenas quatro viaturas da Polícia Militar rodando na cidade. Não bastasse isso, elas são de 2009 e como estamos em uma cidade litorânea, os veículos já estão bastantes deteriorados”, explicou.

Segundo ele, os problemas não param por aí. “Na delegacia daqui, não tem delegado e não tem investigador. Para se ter uma ideia, quem atende na delegacia são guardas municipais. Não fosse isso, a delegacia nem estaria funcionando.”

De acordo com Edmilson, o protesto de hoje foi motivado pelos sucessivos assaltos no município. “Os criminosos roubam as lojas e sorriem para as câmeras, porque sabem que não serão capturados. Hoje mesmo, um bando usou um maçarico para abrir um caixa eletrônico e saiu andando com o saco de dinheiro”, contou.

Na manifestação, o grupo levou faixas, um caminhão de som e fez a passeata pelas principais ruas do município. “Informamos a Polícia Militar do protesto e também a Polícia Rodoviária Federal e a Ecovia, quando bloqueamos a rodovia. Foi tudo dentro da lei”, explicou o presidente do Conseg de Matinhos. Segundo ele, cerca de 150 pessoas participaram do protesto. A PM disse que 80 pessoas estavam na manifestação.

Ainda de acordo com Edmilson, a manifestação teve apoio dos moradores e dos comerciantes. “Muitos comércios fecharam as portas para apoiar o protesto. Os moradores querem mais segurança”, explicou. Até por isso, ele garante que novos protestos podem acontecer. “Vamos continuar saindo para as ruas até que a situação se resolva”, afirmou.

Posicionamento  da Polícia Militar e da Polícia Civil

A Polícia Militar se posicionou por meio de uma nota, na qual afirma que o policiamento que cabe à PM “está sendo feito diariamente e diuturnamente na cidade, no atendimento às mais distintas ocorrências como furtos, roubos, perturbação do sossego, entre outras, priorizando sempre as de perigo à vida.”

Segundo a Polícia, o trabalho vem resultando em diversas prisões e apreensões. “Além disso, várias ações policiais são desencadeadas em todo o litoral, com operações pontuais com vista a proporcionar maior segurança à comunidade. Nos últimos meses o Batalhão tem direcionado esforços também à atividade preventiva de crimes, com projetos sociais comunitários.”

A PM ainda ressalta que “atua com os meios materiais e humanos que possui”, mas afirmou que está em andamento um Curso de Formação de Soldados no litoral e, segundo a Polícia, “assim que estes profissionais se formarem, serão distribuídos nos municípios conforme a necessidade.”

Por fim, a Polícia Militar ainda pede o apoio da população para conseguir prender os assaltantes da região. “Se as pessoas já possuírem características de marginais ou informações como placas de veículos, tipo de vestimenta, cabelos e horários devem repassar à Polícia Civil, responsável pela investigação e identificação de suspeitos, para que as medidas pertinentes à investigação sejam tomadas.”

A reportagem tentou o contato com a Polícia Civil. No entanto, ninguém foi encontrado para comentar a situação em Matinhos. O Massa News deixa o espaço em aberto para que a Polícia Civil também se posicione em relação às reclamações dos moradores.