22°
Máx
16°
Min

Moradores do Capão Raso reclamam de insegurança e falta de policiamento

(Foto: Reprodução/Google Street View) - Moradores do Capão Raso relatam insegurança e falta de policiamento
(Foto: Reprodução/Google Street View)

“Eu sempre ando com R$ 20 no bolso, por precaução. Se eu não tiver dinheiro quando algum bandido vier me assaltar, posso ser ferida por eles.” Este é o relato da estudante Josiane Tracz, de 21 anos, moradora do bairro Capão Raso, em Curitiba.

De acordo com ela, a insegurança na região é muito grande. “Esses dias invadiram uma casa aqui no bairro e fizeram a limpa. Em outro dia, bem cedo, dois rapazes foram com sacolas roubar as pessoas que estavam na fila do posto de saúde, esperando abrir.”

A estudante volta apenas à noite para casa e afirmou que pede para o pai ou para o namorado buscar ela no ponto. “Sempre peço para o motorista me deixar na esquina e já ligo para virem me buscar. Mas tem meninas que não tem para quem ligar e precisam se arriscar.”

Segundo Josiane, o policiamento no bairro quase inexiste. “A gente não vê viatura algumas fazendo patrulhamento aqui no bairro”, afirmou. De acordo com ela, não existe um horário predileto dos assaltantes. “É mais comum ser bem cedo ou bem tarde, mas na verdade acontece em todos os períodos do dia”, destacou.

Em nota, a Polícia Militar informou “que o policiamento preventivo e ostensivo no Capão Raso é feito pelo 13º Batalhão diariamente, com diferentes ações que são desempenhadas pelas Radiopatrulhas da unidade e também pelas Rondas Ostensivas Motorizadas, além do serviço Reservado.”

 Segundo a PM, “a prioridade é atender ocorrências que oferecem risco a vida”. Além disso, a corporação pediu para que, quando acontecer alguma situação, a população ligue para o 190. Por fim, ressaltou que, em breve, “os alunos soldados que estão em curso serão formados e distribuídos conforme a necessidade nos bairros”.