24°
Máx
17°
Min

Moradores do Pilarzinho interditam ruas e pedem medidas contra enchentes

Moradores do Pilarzinho interditam ruas e pedem medidas contra enchentes

Os moradores do bairro Pilarzinho, em Curitiba, que foram atingidos por um alagamento na tarde da última terça-feira (12) por conta das fortes chuvas, realizaram um protesto no cruzamento das ruas Professor Ignácio Alves de Souza Filho e João Gasparin. As vias ficaram bloqueadas durante três horas, na noite desta quarta-feira (13). Os móveis destruídos na enchente foram utilizados para fazer a interdição das ruas. 

A água atingiu um nível muito alto e fez com que os moradores perdessem todos os seus pertences. Há relatos de que a água atingiu pelo menos a metade de altura de algumas residências, enquanto outras teriam sido completamente cobertas durante a enchente. 

O objetivo dos moradores ao fazer o protesto foi chamar atenção do poder público para o problema. A moradora Andreia Camargo Pedroso relatou, na noite de terça-feira (12), que ficou no meio de um impasse entre a prefeitura e a Sanepar sobre o que poderia ter acontecido na região. De acordo com ela, a administração municipal falava que o problema seria da Sanepar, enquanto a companhia indicava que a solução teria que partir da prefeitura.

A reportagem do Massa News procurou na quarta-feira a assessoria de imprensa da Sanepar, que enviou uma equipe para o local averiguar a situação e informou que a situação não envolve a companhia porque não existe rede de esgoto do local. Ainda ontem, a prefeitura de Curitiba comunicou que equipes da Regional Boa Vista e da Defesa Civil estiveram no local durante a madrugada de quarta-feira para esgotar a água acumulada na área. Também informou que a Secretaria Municipal de Obras Públicas iria ao local para descobrir as causas do alagamento e solucionar eventuais problemas na tubulação de fundo de vale. A secretaria ainda ressaltou que as casas foram construídas abaixo do nível da rua, "o que facilita esse tipo de ocorrência por formar uma bacia d'água", conforme nota divulgada pela administração municipal.

Colaboração Rede Massa