26°
Máx
19°
Min

Moradores temem bairros 'sobrecarregados' com duplicação da PR-445

(foto: DER/Divulgação) - Moradores temem bairros 'sobrecarregados' com duplicação da PR-445
(foto: DER/Divulgação)

Moradores do jardim Cafezal, zona Sul de Londrina, reuniram-se nesta segunda-feira (21) com representantes da Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU) e do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Londrina (Ippul) para discutir formas de evitar o aumento do tráfego de veículos nos bairros próximos ao viaduto da avenida Dez de Dezembro com a PR-445, que passa por obras de duplicação.

A preocupação da comunidade é que, com a liberação do viaduto, os bairros da região que já estão 'ilhados' por causa da duplicação fiquem ainda com maior dificuldade de acesso.

Uma das soluções, apontada pelo Ippul, é a duplicação da marginal da rodovia. Os recursos viriam do projeto de implantação do Superbus, com mais de R$ 120 milhões a serem liberados pelo Ministério das Cidades. Os moradores da região reivindicam a manutenção do semáforo da Rua Maria Vidal da Silva até a conclusão da duplicação da marginal.

“Já faz quase um ano que tentamos resolver a questão do tráfego na região com a liberação do viaduto da PR-455 e Avenida 10 de Dezembro. Solicitamos junto ao IPPUL e CMTU a elaboração de um projeto, para que a comunidade pudesse avaliar e ver o que seria melhor. A proposta apresentada de construção de pistas duplas na marginal é razoável e poderia melhorar o acesso dos moradores desses bairros e até do 5º Batalhão e do Corpo de Bombeiros”, admitiu a vereadora Lenir de Assis, que participou da reunião.

Para o coordenador de Transporte da CMTU, Wilson de Jesus, a alternativa de duplicar a marginal pode solucionar parte dos problemas temidos pela comunidade. “Os ônibus que vêm de diversos bairros da Zona Sul teriam que, necessariamente, passar pela rua Ludovina da Silva Barroso, que não tem condições de suportar o tráfego pesado. A duplicação da marginal poderia resolver o problema”, concordou Wilson de Jesus. Já os moradores da região cobraram rapidez na obra. “A proposta é interessante, mas não pode ser para daqui um ano. É algo que precisa ser feito com urgência”, reivindicou Sonia Maria Nascimento, moradora do Jardim Acapulco I.

(com informações da assessoria de imprensa da Câmara de Vereadores de Londrina)