20°
Máx
14°
Min

Moradores tentam voltar à normalidade após noite de terror

O clima ainda é de muito medo e pânico na cidade de Cascavel. A cidade viveu mais de 24 horas sob uma onda de terror que deixou todos os moradores assustados.

Quatro ônibus do transporte coletivo foram queimados, dois deles ficaram completamente destruídos. Além disso, um carro de passeio também foi alvo dos criminosos, na região do Bairro FAG.

A onda de medo, fez com que as empresas que operam o transporte coletivo, recolhessem os veículos suspendendo o serviço.

Ônibus voltam a circular

A prefeitura da cidade emitiu uma nota esclarecendo que o fato de recolher os veículos foi por conta da segurança aos passageiros e trabalhadores do transporte.

O serviço foi retomado novamente na manhã desta terça-feira (29). Ainda ontem muitas pessoas foram pegas de surpresa e precisaram contar com ‘carona solidária’ para retornar para casa.

Ataques relacionados em mensagens

A polícia de Cascavel investiga se os ataques partiram de uma série de mensagens divulgadas nas redes sociais. Além dos textos, mensagens de áudios também foram disparadas pelos aplicativos de conversas.

Foto: Divulgação

Nelas, os supostos criminosos explicavam os ataques e os relacionavam com a morte de dois suspeitos de assalto, ocorridas na madrugada de domingo (27).

Policiamento reforçado

Logo que os ataques começaram as forças de segurança pediram apoio para equipes da região. Policiais de várias cidades, tanto das forças militares quanto das civis, reforçaram a segurança.

Operações bloqueios foram realizadas em vários pontos da cidade, com a finalidade de evitar novos ataques. A Secretaria de Segurança emitiu uma nota no fim da noite explicando os trabalhos adotados pelas equipes.

As polícias Civil e Militar do Paraná estão empenhadas para conter e apurar as causas dos ataques a ônibus registrados na noite desta segunda-feira (28).

Até o momento dois homens foram presos e dois adolescentes apreendidos por policiais militares. Com eles, num ponto de ônibus, foi apreendido um facão e um galão com gasolina -- evitando assim mais incidentes.

As causas desses ataques estão sendo apuradas com todo rigor pelas polícias. Equipes de policiais do Cope (Centro de Operações Policiais Especiais), da Denarc (Divisão de Narcóticos) e de delegacias da região foram convocados para uma força tarefa para identificar e prender todos envolvidos.

Investigação

A Polícia Civil e a Militar trabalham ininterruptamente para tentar descobrir de onde partiram as ordens de ataques e quem seriam os responsáveis pelos atos.

Ainda na noite de ontem (28) o delegado do GDE de Cascavel, Edgar Santana, divulgou a foto de um dos suspeitos de atear fogo no ônibus do Bairro Alto Alegre.

Foto: Polícia Civil

O rosto do rapaz é nitidamente visível na imagem e a polícia tenta identifica-lo. Denúncias podem ser feitas pelo 181 ou 197.

Suspeitos detidos

Dois adolescentes e um rapaz de 20 anos acabaram detidos pela Polícia Militar na região Norte da cidade. Eles estavam com um galão de combustível, um facão e fósforo.

O jovem Adriano Rodrigues dos Santos confessou aos policiais ser do Bairro Santa Cruz e que atearia fogo em um veículo por causa das mortes registradas no fim de semana. Os três foram levados à Delegacia de Polícia Civil e devem ajudar a elucidar o caso.

Crimes relacionados

A Polícia Civil de Cascavel não tem dúvidas de que os crimes estão todos relacionados. Eles começaram após a morte de dois suspeitos em confrontos com policiais.

Um ocorrido após uma tentativa de assalto e o outro após o primeiro ataque à ônibus. Os suspeitos de cometerem os ataques estariam ligados aos jovens mortos: Cleiton Rafael Pastre, 25 anos e Guilherme Ângelo Freitas da Silva, 16. As investigações continuam e a polícia já tem nomes de vários suspeitos.

Colaboração: Cristiane Guimarães e André Garcia / Rede Massa