27°
Máx
13°
Min

Motorista acusado de atropelar adolescente é absolvido

(Foto: Divulgação / Rede Massa) - Motorista acusado de atropelar adolescente é absolvido
(Foto: Divulgação / Rede Massa)

O crime que aconteceu em janeiro de 2014 e chocou a cidade de Carambeí, a 15 quilômetros de Ponta Grossa, teve um desfecho nesta segunda-feira (21). Gabrieli Kremen, de 15 anos, brincava na calçada em frente à casa dela, quando Joelson Almeida acelerou o veículo e atropelou a adolescente. O que mais revoltou a população foi que o pai da menina tentou prestar socorro e o acusado impediu, dando vários chutes e socos. A adolescente morreu e Joelson foi preso em flagrante.

Nesta segunda, a dor da família aumentou ainda mais depois que a juíza Érica Watanabi absolveu Joelson, acatando a tese da defesa de que ele sofre de esquizofrenia. “Por dentro, a gente está podre, sentimento da saudade, agonia, raiva”, desabafa a mãe de Gabrieli, Daniele Kremen da Rosa. “Esquizofrenia pode até ser doença, mas assassinato é crime, eles não podem tratar alguém que tirou uma vida como doente”, completa. “Eu vivia falando para os meus filhos que eles eram as únicas coisas minhas, que ninguém iria tirar. Mentira, tiraram a minha filha de mim”, desabafa Daniele.

O Ministério Público denunciou Joelson por homicídio duplamente qualificado, por motivo fútil e uso de meio que impossibilitou a defesa da vítima. Em tese, segundo o advogado Fernando Madureira, que defendeu Joelson, o caso deveria ir a júri popular. Porém, durante o processo, foi detectado que o rapaz sofria de insanidade mental. O que fez com que a juíza o absolvesse de todas as acusações e determinasse o internamento por no mínimo três anos em um hospital psiquiátrico.

“A defesa comprovou, com laudos anteriores ao fato e com exames posteriores, que no momento do fato ele era portador de doença mental. Não adianta colocar ele em uma penitenciária porque corre o risco de ele cometer outros crimes”, explica Madureira. Joelson ficará pelo menos três anos no Complexo Médico Penal, em Pinhais, na região metropolitana de Curitiba.

Colaboração Rafaela Schuinka, da Rede Massa.