22°
Máx
14°
Min

Motoristas e cobradores da VCG ameaçam entrar em greve

(Foto: Divulgação / Rede Massa) - Motoristas e cobradores da VCG ameaçam entrar em greve
(Foto: Divulgação / Rede Massa)

Os cobradores e motoristas do transporte coletivo de Ponta Grossa aguardam uma resposta da Viação Campos Gerais (VCG) depois que a categoria rejeitou a proposta apresentada pela empresa de 7% de reajuste salarial referente à reposição da inflação, e dos R$ 280 de vale-refeição. Os trabalhadores fizeram uma contraproposta e esperam que a decisão saia ainda nesta semana.

“Entre as reivindicações da categoria nas cláusulas trabalhistas, há a necessidade obrigatória da recomposição integral do INPC [Índice Nacional de Preços ao Consumidor] mais 5% de aumento real referente ao período de 1º de maio até 31 de janeiro”, explica o líder sindical do sindicato que representa a categoria, o Sintropas, Luiz Carlos de Oliveira.

“O cartão-alimentação, que hoje eles chamam de ‘cartão-pipoca’, ou ‘cartão-coxinha’, nós pedimos R$ 554, porque hoje é R$ 230, isso é muito pouco para o trabalhador, em outras empresas do mesmo ramo, os funcionários recebem R$ 440 desde o ano passado”, completa.

Caso as negociações com a empresa não avancem, a possibilidade de uma greve no transporte coletivo é grande. “Eu já penso na possibilidade de greve em 99%, até porque o silêncio da empresa nos traduz que eles não querem negociar, ficaram de nos dizer se aceitavam ou não a proposta e ainda não tivemos resposta”, conclui.

A VCG relatou que as negociações estão em andamento e as discussões sobre o assunto serão retomadas nesta semana.

Colaboração Maira Zimermann, da Rede Massa.