28°
Máx
17°
Min

Movimento Pais em Ação faz abaixo-assinado pela educação integral nos Cmeis

Foto: Assessoria de imprensa - Movimento Pais em Ação faz abaixo-assinado pela educação integral nos Cmeis
Foto: Assessoria de imprensa

Integrantes da campanha Pais em Ação buscam a adesão da população iguaçuense ao abaixo-assinado que pede a retomada do atendimento integral a crianças de 0 a 3 anos de idade nos centros de educação infantil de Foz do Iguaçu (Cmeis).

No início do ano letivo, a comunidade foi surpreendida com o anúncio feito pela da Prefeitura Municipal de que os novos alunos, matriculados em 2016, serão atendidos em apenas meio período.

Todos os moradores de Foz do Iguaçu podem participar da campanha a favor da integralidade da educação infantil, firmando o abaixo-assinado e organizando a coleta de assinaturas entre pais e mães nas comunidades, universidades, entidades sociais e escolas de todos os níveis de ensino.

Até o momento, já foram coletadas duas mil assinaturas, que serão anexados a um petição coletiva pela integralidade do ensino infantil em Foz do Iguaçu.

A coordenadora do movimento, Zilda Moreira, explica que a campanha teve início logo depois de que a Secretaria Municipal de Educação de Foz do Iguaçu tornou pública a nova orientação de matrícula para as crianças de 0 a 3 anos.

Pais e mães de alunos dos Cmeis promoveram reunião com representantes dos Conselhos Tutelares, Rede Proteger, Sinprefi, Sismufi, Conselho da Mulher e da APP-Sindicato/Foz, para a definição do movimento e fizeram consulta à Defensoria Pública.

Para Zilda Moreira, a restrição do atendimento nos Cmeis fere o direito das crianças à educação e compromete o trabalho de pais e mães que cumprem jornadas profissionais diárias, pois não terão com quem deixar os seus filhos.

“Não existe meio período para as trabalhadoras. Com quem deixaremos nossos filhos? Vamos ter de pagar cuidadores e transporte para podermos trabalhar”, diz.

“Pedimos que mesmos os pais que não têm filhos nos Cmeis apoiem o abaixo-assinado”, complementa Zilda Moreira, que trabalha como diarista.

Para a pedagoga e secretária de Formação da APP-Sindicato/Foz, Cátia Castro, a decisão tomada pela Prefeitura Municipal é resultado do processo de precarização promovido pela administração.

“Os serviços públicos, como saúde e educação, estão sendo atacados pela atual administração, que pretende privatizar ou terceirizar áreas essenciais para a população”, enfatiza Cátia Castro.

Abaixo-assinado

Dirigido ao Prefeito Reni Pereira, o abaixo-assinado pede a garantia de atendimento integral a crianças de 0 a 3 anos nos Cmeis.

O documento expõe que o Poder Público é obrigado a universalizar o acesso à educação e promover o ensino público e gratuito.

Além disso, diz o texto, a legislação determina que os direitos das crianças sejam prioridade entre as políticas públicas e na execução do orçamento municipal.

Para os organizadores da campanha, a integralidade da educação infantil está garantida nas diretrizes do Plano Nacional da Educação, (PNE), no Plano Nacional Pela Primeira Infância e nas deliberações das conferências municipais da criança e do adolescente.

Colaboração: Assessoria de imprensa