21°
Máx
17°
Min

Movimento Vem Pra Rua atrai população e mobiliza até Moro

(Foto: Robson Fernandjes/ Fotos Públicas) - Movimento Vem Pra Rua atrai população e mobiliza até Moro
(Foto: Robson Fernandjes/ Fotos Públicas)

O Movimento Vem Pra Rua, marcado para este domingo (13), já estava previsto antes mesmo da Operação Aleteia, deflagrada pela Polícia Federal no dia 04 de março, quando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi alvo de uma condução coercitiva. No entanto, os fatos de Lula ter sido levado por policiais federais para prestar depoimento na semana passada e do Ministério Público de São Paulo pedir a prisão preventiva do ex-presidente, nesta quinta-feira (10) deixaram o clima mais tenso.

Isto fez com que a mobilização de domingo se tornasse palco – tanto por grupos contra quanto os favoráveis ao governo – para milhares de pessoas expressarem as suas posições quanto às turbulências política e econômica do país.

Em Curitiba, a concentração para o ato está marcada para às 14h, na Praça Santos Andrade. Os manifestantes devem seguir trajeto na rua João Negrão, Avenida Marechal Deodoro e Travessa Oliveira Belo até chegar no calçadão da Rua XV de Novembro. O final da manifestação deve acontecer na Boca Maldita.

O calendário completo em todo o país pode ser encontrado na página do Facebook do movimento.

(Foto: Paulo Pinto/ Fotos Públicas)

A estimativa de um grande número de pessoas e a possibilidade de existir confronto entre os grupos com posições diferentes está preocupando as autoridades policiais, públicas e políticas. Por conta do momento turbulento, até mesmo o juiz federal Sérgio Moro, um dos responsáveis pela condução da Operação Lava Jato, fez uma declaração na noite desta quinta-feira (10) pedindo calma aos manifestantes.

“Estão previstas manifestações nos próximos dias ou semanas, sejam contrárias ou favoráveis ao governo. E eu queria pedir a todos que tudo seja desenvolvido sem violência e radicalismo, com muita serenidade, sem discurso de ódio e sem violência contra ninguém”, comentou Moro na ocasião, em palestra ministrada durante evento de combate à corrupção promovido pela Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), em Curitiba.

Houve também pedidos por parte do próprio governo e de políticos para que orientem militâncias a não participarem do ato de domingo, como forma de evitar que os ânimos fiquem acirrados. A presidente da República, Dilma Rousseff, fez este pedido durante uma reunião de coordenação política, no dia 08 de março. Ela se demostrou muito preocupada com a possibilidade de um confronto direto entre militâncias a favor do governo e os grupos contra o governo.

A Polícia Militar preparou um esquema de segurança especial para o acompanhamento do ato público no domingo. Segundo a corporação, será garantido o direito de manifestação e exposição de opinião, mas as equipes vão inibir vandalismos e depredações do patrimônio público. O patrulhamento será realizado a pé e com motos, viaturas, módulos móveis e um helicóptero.

Na semana passada, a Polícia Militar se reuniu com representantes de diferentes grupos para estabelecer acordos, com o objetivo de garantir o direito de manifestação e organização no dia das mobilizações.

Cobertura completa

O Massa News fará uma cobertura completa e especial sobre a mobilização de domingo. Os interessados podem acessar o portal e acompanhar as informações nas redes sociais, por meio do Facebook, Twitter, Instagram e Snapchat.