23°
Máx
12°
Min

MST aceita desocupar Fazenda Santa Maria após negociação

O MST aceitou desocupar a Fazenda Santa Maria, invadida desde março, em Santa Terezinha de Itaipu. A reintegração de posse começou com muita tensão, mas aos poucos as equipes policiais fizeram a negociação com os líderes do movimento.

Conforme o tenente-coronel que comanda a operação, Washington Lee Abe, 650 policiais foram acionados pela PM para ajudar nos trabalhos. As equipes já estão dentro do acampamento e acompanham as famílias na desmontagem dos barracos.

A polícia acredita que os veículos queimados pertencem a fazenda e não ao MST, por isso foram usados para bloquear a rodovia.

Prazo estipulado

Durante as negociações os integrantes do MST pediram um prazo de oito dias para deixar o local, mas a PM concedeu dois dias para a desocupação. Máquinas pesadas foram enviadas ao local para dar suporte na desmontagem dos barracos.

Além disso, a polícia monta uma estrutura para realizar a reintegração de posse da fazenda.

Boatos desmentidos

A Polícia Militar desmentiu boatos de crianças feridas. Conforme a PM a reintegração, embora tenha iniciado com tensão, ocorre de forma pacífica. Não há registro de pessoas feridas, segundo as equipes.

No local, conforme o MST há cinco mil pessoas, mas a estimativa da PM é que dentro da propriedade estejam apenas 400 sem-terras. Quem está do lado de fora não pode entrar na propriedade.

Rodovias bloqueadas

A BR-277 já teve o fluxo liberado em Santa Terezinha do Itaipu, no entanto, no trevo de acesso a Quedas do Iguaçu, o MST continua com o bloqueio da rodovia. A passagem foi interrompida e os motorista estão parados na BR.

O MST ainda não emitiu nota sobre a desocupação da fazenda.

Colaboração: Vinícius Machado / Rede Massa