28°
Máx
17°
Min

Mulher que matou recém-nascido consumiu crack antes do crime

(foto: Rodrigo Carvalho/Rede Massa) - Mulher que matou recém-nascido consumiu crack antes do crime
(foto: Rodrigo Carvalho/Rede Massa)

Continua presa na delegacia de Marilândia do Sul a mulher de 33 anos que matou o filho recém-nascido a facadas logo após dar à luz na madrugada de segunda-feira (22) em Mauá da Serra (54 km de Apucarana).

Em depoimento ao delegado Felipe Ribeiro, ela confessou o crime, admitiu ser usuária de drogas e disse ter passado o dia anterior consumindo crack. "A autora disse que estava alucinada depois de induzir o parto, que via imagens na criança, e deu uma série de versões fantasiosas".

Segundo o delegado, o inquérito está praticamente concluído. "Trata-se de um caso muito chocante pela situação em que ocorreu, mas de fácil apuração. A mulher foi presa em flagrante, os exames toxicológicos e cadavérico serão inseridos ao inquérito",detalhou o delegado.  Ribeiro ainda negou que Edioceia Foquim de Menezes tenha mudado a versão do depoimento, acusando o homem que morava com ela de ter matado o bebê.

O crime de infanticídio - matar, sob a influência do estado puerperal, o próprio filho, durante o parto ou logo após - prevê pena de dois a seis anos de prisão.