22°
Máx
16°
Min

Mulher usa bebê para facilitar assalto em apartamento no Batel

Mulher foi presa em flagrante durante assalto a um apartamento no Batel. Junto, o filho de 8 meses. (Foto: reprodução/Rede Massa) - Mulher usa bebê para facilitar assalto em apartamento no Batel
Mulher foi presa em flagrante durante assalto a um apartamento no Batel. Junto, o filho de 8 meses. (Foto: reprodução/Rede Massa)

Kaena Bianca da Silva, 18 anos, foi presa em flagrante durante assalto a um apartamento, no bairro Batel, em Curitiba. A mulher estava acompanhada do filho, um bebê de 8 meses. Depois do assalto ao imóvel, ela foi surpreendida pelo síndico do prédio que desconfiou e chamou a polícia. A mulher foi encaminhada para o Centro Integrado de Atendimento ao Cidadão (Ciac-Sul) e deverá responder por furto qualificado. O bebê foi entregue ao Conselho Tutelar.

Na noite de ontem, Kaena solicitou ao porteiro do prédio para ir até o apartamento 406. Foi informada de que não havia ninguém no imóvel. Mesmo assim, como mostram as imagens internas das câmeras de segurança, ela ficou no local e, durante a entrada de outros moradores, aproveitou para entrar no elevador e subir até o quarto andar. Segundo o repórter Daniel Santos, da Rede Massa, a mulher teria usado uma chave de fenda para destravar a fechadura eletrônica e entrar no imóvel. Na saída, joias, perfumes, esmaltes e até desodorantes foram escondidas na mochila.

Quando Kaena retornou ao saguão do prédio encontrou o síndico, desconfiado depois de saber da insistência com o porteiro.  A mulher chegou a sentar no sofá da recepção e esconder as ferramentas usadas na abertura da porta. Na sequência, foi até a entrada do prédio, sentou-se na mureta do jardim e  escondeu os produtos do furto em uma moita.

A mulher já vinha sendo investigado em outros assaltos com as mesmas características. Segundo o delegado da Furtos e Roubos, Rodrigo Souza, Kaena já tinha sido apreendida por ele quando adolescente. Na época, ela namorava um homem que já tinha sido preso por assalto.

Colaboração João Carlos Frigério