27°
Máx
13°
Min

Mulheres denunciam agressão dentro de balada sertaneja

Amigos relataram o caso em rede social. (Foto: Google Street View) - Mulheres afirmam que foram agredidas em balada sertaneja
Amigos relataram o caso em rede social. (Foto: Google Street View)

Um suposto caso de agressão e assédio em uma balada sertaneja de Curitiba ganhou grande repercussão nas redes sociais nesta sexta-feira (29). Duas clientes da casa noturna afirmam que “foram espancadas durante uma confusão na quinta-feira (28), após ‘dar um fora’ em homens que começaram a agredi-las verbalmente, dizendo que 'bater em mulher não é problema'”.

Uma das vítimas relatou a situação na página do Facebook da balada sertaneja. Segundo ela “a confusão começou quando as duas não ‘corresponderam’ ao interesse de alguns homens que frequentavam o local”. “Dizendo que éramos bem características curitibanas, que não conversávamos com eles”, contou.

Ainda de acordo com a mulher, “o segurança do local não fez nada quando ela procurou ajuda”. “Chamei o segurança e disse que ia dar confusão, o segurança acreditou na história dos homens e não deu bola”. Depois disso, os homens teriam continuado ‘provocando’ e uma mulher que estava com eles, tomou as dores. “Apanhei um pouco e os seguranças ficaram olhando até minha amiga ficar no chão de tanto apanhar, eu sendo segurada por alguns”, continuou a vítima.

Ela teria sido atendida no Hospital Cajuru. Uma amiga das vítimas ainda publicou um desabafo sobre o caso, relatando que “um dos homens disse que ‘bater em mulher não é o problema’”. Segundo a publicação, os homens eram ‘lutadores’ e, quando a confusão começou, chamaram uma amiga também ‘lutadora’. “Ela espancou minhas duas amigas dentro da casa. É a prova de que o machismo está aí, e que inclusive é praticado por mulheres”, disse.

A balada sertaneja se pronunciou sobre a situação por meio de nota oficial. “Tomamos todas as medidas cabíveis para amenizar a situação no momento do ocorrido e estamos apurando as informações com todas as partes envolvidas”. Segundo a nota, “a situação aconteceu entre clientes mulheres e a casa noturna ainda não sabe o motivo da confusão”. “A equipe da casa noturna repudia qualquer tipo de violência, verbal ou física, e não concorda com comportamentos abusivos. Sentimos muito pelo acontecimento”.

Atualização

Após a repercussão do caso nas redes sociais, a balada sertaneja analisou as imagens da noite da quinta-feira (28) e divulgou uma nova nota oficial sobre o ocorrido. Confira a nota na íntegra:

A briga aconteceu entre dois grupos de frequentadores por volta das 4h30 da madrugada desta sexta-feira (29), e teve vários envolvidos, dentre homens e mulheres. Os seguranças agiram imediatamente para apartar a briga e as imagens das câmeras de segurança comprovam que a ação dura menos de dez segundos. Apesar da briga envolver várias pessoas, não houve agressão entre pessoas do sexo oposto.


Não houve, em momento algum, omissão por parte dos seguranças da casa. Após a situação ser controlada, foram levantados os dados de todos os envolvidos.

A equipe da Shed ofereceu o suporte necessário aos clientes. Foi oferecido o atendimento médico tanto no ambulatório que existe dentro do estabelecimento, quanto pela Ecco Salva, com a qual a Shed possui convênio. As duas clientes em questão não acharam necessário o atendimento médico.

A polícia foi chamada pelos clientes por volta das 5h30 da madrugada, para fazer o boletim de ocorrência. As duas clientes mulheres não quiseram aguardar pela PM para prestar queixa, mas os homens envolvidos registraram o BO.


As imagens das câmeras de segurança serão disponibilizadas para as autoridades, para auxiliar nas investigações judiciais. Elas não serão divulgadas à imprensa, mas estão disponíveis na sede da Shed Western Bar para os jornalistas que tiverem interesse.


A Shed irá notificar e acionar judicialmente aqueles que utilizaram das redes sociais para difamar a imagem casa e, principalmente, por deturparem de maneira tão contundente os fatos ocorridos, dando a impressão de que a casa foi conivente e omissa em um suposto “espancamento” e, inclusive, utilizando imagens falsas para induzir o público geral ao erro.

Colaboração Louise Fiala