28°
Máx
17°
Min

Multa fica mais cara para quem usa o celular ao volante

(Foto: Epitácio Pessoa / Estadão Conteúdo) - Multa fica mais cara para quem usa o celular ao volante
(Foto: Epitácio Pessoa / Estadão Conteúdo)

A partir de novembro, dirigir segurando ou manuseando o celular será considerada infração gravíssima de trânsito, sujeita a multa no valor de R$ 293,47, mais sete pontos na habilitação. As penalidades mais rigorosas são uma tentativa de diminuir o uso do aparelho pelos motoristas enquanto estão ao volante e, assim, reduzir o risco de acidentes causados pela falta de atenção. 

O tema é abordado nesta quarta-feira (18), na campanha “31 Dias para mudar o trânsito”, do Departamento de Trânsito do Paraná para o Maio Amarelo. Atualmente, o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) considera que dirigir usando o celular é infração média, com multa de R$ 85,13 e quatro pontos na carteira do motorista.

“De todas as alterações feitas pela Lei Federal 13.281, sancionada neste mês, eu acho que essa foi a que mais se adequou a nossa época. Estávamos com um artigo desatualizado em relação ao final do século passado, aonde apenas 10% da população utilizava das vantagens do celular. A nova regulamentação nos trouxe mais para a realidade atual”, comenta o especialista em Segurança no Trânsito, Eduardo Biavati.

De acordo com ele, pesquisas indicam que a probabilidade de ocorrer um acidente quando o motorista usa o celular aumenta em até 400% devido à falta de atenção. Esse índice é um problema crescente, que atinge todas as classes sociais”, completa. 

Nos últimos quatro anos, o Detran registrou um aumento de 4% no número de multas aplicadas pelo uso dispositivo móvel no trânsito no Estado. Curitiba lidera o ranking, com 21% de crescimento das autuações por este motivo, seguida por Maringá, com 14% de aumento. Já as cidades de Londrina e Cascavel tiveram queda nas multas – 27,5% e 8%, respectivamente. 

“O uso do celular ao volante é considerado um problema, pois a atenção do motorista fica comprometida. Estudos mostram que o risco de colisões é 23 vezes maior quando se dirige e digita. O condutor passa a direcionar o seu interesse para as mensagens que recebe e envia, deixando de prestar atenção ao que acontece na rua à frente ou nas laterais”, cometa o diretor-geral do Detran, Marcos Traad.

Uma pesquisa feita em São Paulo com aproximadamente 4,1 mil pessoas revelou que 80% dos motoristas consultados usam celular ao volante. Destes, 42% admitem que enviam mensagens de texto enquanto dirigem e 8% disseram que não mudariam o comportamento, mesmo sabendo das consequências.

“Meu trabalho exigia estar sempre disponível para ligações e mensagens e eu fazia, mesmo ao volante. Recebi uma série de multas e quase tive minha CNH suspensa. Hoje, deixo o aparelho de lado e não uso até chegar ao meu destino”, conta administradora, Soraya Fonseca Simon. “Seja o que for, pode esperar uns minutinhos. Entendo que as penalidades existem devido ao grande número de acidentes causados pelo hábito e não quero que nada pior aconteça comigo ou por minha causa”, afirma Soraya. 

Mudanças

As alterações no Código de Trânsito Brasileiro tornaram as multas mais pesadas e os valores cobrados mais altos a partir de 5 de novembro – passam de R$ 53,20 para R$ 88,38, no caso de infrações leves; de R$ 85,13 para R$ 130,16, nas infrações médias; de R$ 127,69 para R$ 195,23 nas graves; e de R$ 191,54 para R$ 293,47, nas infrações gravíssimas.