27°
Máx
13°
Min

Novo zoneamento garante preservação da Mata dos Godoy

(foto: AEN/Arquivo) - Novo zoneamento garante preservação da Mata dos Godoy
(foto: AEN/Arquivo)

Para melhorar a proteção das florestas no entorno do Parque Estadual Mata dos Godoy, em Londrina, o Instituto Ambiental do Paraná (IAP) atualizou a Zona de Amortecimento da Unidade de Conservação. Trata-se de um novo mapeamento que permite maior conectividade entre os remanescentes florestais da região, integrando áreas estratégicas para a conservação.

A portaria do IAP nº 160/2016 garante a manutenção da biodiversidade através de uma malha de corredores de matas ciliares dos rios e seus afluentes. O trabalho foi realizado por uma equipe técnica multidisciplinar do instituto, responsável pela Unidade de Conservação, e envolveu o levantamento das áreas no entorno do parque com base em imagens de satélite e vistorias em campo.

A gerente do Parque Estadual Mata dos Godoy, Leliana Casagrande, explica que as pesquisas consideraram a atualização do Plano de Uso e Ocupação do Solo do município e resultaram em um traçado que delimita o crescimento de Londrina.

“Foram selecionados fragmentos florestais e rios, reduzindo as áreas antropizadas, ou seja, alteradas pela ação do homem, que não eram Áreas de Preservação Permanente (APP) ou de Reserva Legal, para preservar as áreas florestais, mantendo recursos hídricos para formar corredores que permitam a integração da flora e, principalmente, da fauna”, explica

O trabalho foi acompanhado pela promotora do Ministério Público de Londrina, Solange Vicentin, que avaliou positivamente a nova delimitação da Zona de Amortecimento do Parque Estadual. “Ela irá agregar fragmentos florestais que estavam fora da delimitação da zona de amortecimento, com o objetivo, justamente, de contribuir de maneira mais efetiva para a formação de corredores de biodiversidade”, disse.

De acordo com a promotora, o documento pode auxiliar na atualização dos planos diretores dos municípios que ficam no entorno do parque, garantindo ainda mais o desenvolvimento sustentável de toda a região. “Ficou demonstrado que os municípios, até então, manifestavam pouca preocupação na elaboração dos seus planos diretores, principalmente pela falta de conhecimento da existência de plano de manejo das Unidades de Conservação e a existência da Zona de Amortecimento”, disse “Por isso, é importante que haja ampla divulgação do novo traçado, inclusive dentro dos próprios órgãos ambientais, para realmente criar uma conscientização que venha na salvaguarda de nossa biodiversidade e na melhoria da qualidade ambiental, para que todos saibam da importância deste trabalho”, concluiu a promotora.

Novo zoneamento


A atualização da zona de amortecimento do parque é necessária porque é durante esse processo que são consideradas expansões que ocorreram na própria Unidade de Conservação nos últimos anos e, também, de áreas urbanas. Ela deve sempre trabalhar a conciliação do desenvolvimento social e econômico com a conservação ambiental de espaços que ainda estão preservados.

A prioridade dos estudos para a delimitação da nova Zona de Amortecimento foi a proteção de recursos hídricos e fragmentos florestais, além dos aspectos sociais. Com isso, a área do novo zoneamento conta com 133 quilômetros quadrados, 30 a menos que o zoneamento anterior, porém, com maior concentração de vegetação nativa e menor área urbana onde as atividades entram em conflito com a conservação do parque estadual.

“A diminuição de área ocorreu justamente nos pontos conflitantes na porção Norte do zoneamento. Porém, houve um acréscimo principalmente com relação aos fragmentos florestais e também de proteção aos recursos hídricos, incluindo o manancial de abastecimento de Londrina, servindo como base para a formação de corredores de biodiversidade, tão importantes para a região”, afirmou o chefe regional do IAP em Londrina, Ronaldo Siena.

No novo zoneamento estão inseridos dois núcleos urbanos do município de Londrina, conhecidos como Patrimônio Regina e Distrito de São Luiz, que juntos possuem cerca de 500 habitantes e 99,39 hectares. Os núcleos têm como principal atividade econômica a agricultura e precisam trabalhar em harmonia com a preservação do meio ambiente, estabelecendo os critérios e normas do que é permitido.

A Zona de Amortecimento do Parque Estadual Mata dos Godoy abrange os municípios de Londrina, Arapongas e Apucarana e reúne 62 fragmentos florestais que somam 5,2 mil hectares com grande diversidade. Ao Sul do novo zoneamento também foi acrescentado o fragmento florestal do Assentamento Akolá, de 118 hectares de área bem preservada que não estava no mapeamento anterior.

Zona de Amortecimento

A Zona de Amortecimento delimita o entorno das Unidades de Conservação. Nessas áreas, as atividades realizadas pelo ser humano devem atender normas e restrições específicas com o objetivo de minimizar os impactos ambientais negativos.

Por isso, as atividades inseridas dentro desse perímetro somente podem ser executadas mediante a autorização dos órgãos ambientais competentes e com a anuência do responsável pela Unidade de Conservação em questão.

(com assessoria de imprensa do IAP)