22°
Máx
17°
Min

Número de assaltos em estação-tubo assusta passageiros

(Foto: Reprodução) - Número de assaltos em estação-tubo assusta passageiros
(Foto: Reprodução)

Os passageiros que precisam pegar ônibus na estação-tubo Major Heitor Guimarães, no bairro Campo Comprido, em Curitiba, vivem com medo. Eles já não sabem mais como podem se proteger dos assaltos diários no local. São usuários do transporte coletivo que dependem da linha Centenário-Campo Comprido e aguardam com muito medo a chegada dos veículos.

Uma moradora, que prefere não se identificar, encaminhou a denúncia ao Massa News. Ela conta que os assaltos acontecem todos os dias. Os suspeitos chegam armados e ameaçam os usuários. Eles roubam o dinheiro do cobrador e os pertences dos passageiros. “Eles pedem celular e dinheiro. E não pode ser qualquer celular. Os aparelhos mais antigos são recusados pelos ladrões e eles ainda tiram sarro”, relata a moradora. Somente em um assalto, o suspeito levou oito celulares e outros pertences dos passageiros.

Ela conta que, em uma das oportunidades, uma passageira percebeu a ação dos assaltantes e ameaçou sair da estação-tubo. O suspeito disse para ela não correr porque ele atiraria. “A passageira resolveu deixar o local de qualquer jeito, mas correu um risco enorme. Já vimos momentos em que eles colocam a arma na barriga de passageiros”, comenta. Os suspeitos, depois de cometerem os crimes, fogem a pé. De acordo com a moradora, o número de assaltos aumentou consideravelmente no último mês.

O Massa News publicou, em abril, um exemplo das ações dos assaltantes nas estações-tubo. Uma dupla ameaçou os passageiros na estação-tubo Herculano de Araújo, na Avenida República Argentina, no bairro Novo Mundo, em Curitiba. O cobrador também foi alvo dos bandidos. No dia após a divulgação das imagens da ação, um dos suspeitos foi preso.

O presidente em exercício do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba e Região (Sindimoc), Dino César Morais de Mattos, disse que a onda de violência no transporte coletivo é assustadora. Ele confirmou que houve relatos que chegaram ao sindicato dos assaltos na estação-tubo Major Heitor Guimarães, mas reiterou que os casos acontecem em toda Curitiba e Região Metropolitana. “Não tem mais horário. E os assaltantes não se contentam mais com o dinheiro do cobrador ou do motorista. Já ocorrem casos de arrastão”, indicou.

Mattos lembra que os motoristas e cobradores de Colombo realizaram, em abril, uma assembleia para reivindicar mais segurança. “Naquela ocasião, após a assembleia, os primeiros ônibus que saíram das garagens foram assaltados. Os bandidos já esperavam nos pontos de ônibus”, declarou. “Temos cobrado do poder público mais providências”, salientou.