27°
Máx
13°
Min

Ocupação em Maringá terá reunião com pais de alunos e culto ecumênico

A ocupação do Colégio Estadual Gerardo Braga, na Zona 6 de Maringá, completou cinco dias nesta segunda-feira (23). A mobilização tem sido bastante organizada, com atividades artísticas, aulas de direito constitucional, filosofia e biologia. Os estudantes também montaram grupos de limpeza e cozinha e novas ocupações são prometidas para os próximos dias, desta vez em outros municípios do Paraná.

Nesta terça-feira (24), haverá uma reunião com os pais dos alunos a partir das 19h30, já às 20h30 haverá um culto ecumênico. A principal pauta do protesto é a melhoria da merenda escolar, que sofreu atrasos entre abril e maio. Os estudantes também questionam a qualidade dos alimentos entregues.

Os manifestantes comemoraram nesta segunda-feira a notícia de uma licitação para itens da agricultura familiar para a merenda. A assessoria de imprensa da Secretaria de Estado da Educação confirmou o certame e informou que houve atraso no certame devido à burocracia.

Para que as escolas não ficassem sem alimentos, o governo teria repassado uma verba extra para as escolas, mas várias delas de Maringá e região ficaram com as despensas quase vazias entre abril e maio.

A Seed divulgou que, a partir do dia 30 deste mês, 2,1 mil escolas da rede estadual vão receber a terceira entrega de alimentos não perecíveis. Já no início do próximo mês chegam os alimentos da agricultura familiar, como hortaliças e panificados.

Nota da Seed

“Em relação ao colégio Gerardo Braga (em Maringá), cabe destacar que no dia da ocupação (18/05) havia mais de 900 quilos de alimentos na despensa do colégio, incluindo carne (bovina e frango), polpa de frutas, biscoitos, mistura em pó para bolos, conservas, compostos lácteos, cereais, arroz, açúcar, sal, sucos, chá mate, farinha, entre outros produtos. Esse estoque é suficiente parar durar cerca de 20 dias.”

Colaboração Célia Martinez e Marcos Luvizeto da Rede Massa