26°
Máx
19°
Min

Olimpíadas tiram delegado de investigação da série de mortes em Londrina

(foto: Polícia Civil/Divulgação) - Olimpíadas tiram delegado de investigação da série de mortes
(foto: Polícia Civil/Divulgação)

As investigações da série de 12 mortes registradas em Londrina no final de janeiro deste ano estão a cargo de apenas um delegado. Cristiano Augusto Quintas dos Santos, escalado para atuar ao lado do delegado de Homicídios Paulo Henrique Costa, deixa os casos para trabalhar na equipe responsável pela segurança dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

A dispensa de Cristiano nos inquéritos foi publicada na edição de quinta-feira (30) do Diário Oficial do Estado. Segundo a assessoria de imprensa da Polícia Civil, não é possível confirmar se ele retorna aos casos após as Olimpíadas.

 Os homicídios foram registrados entre a noite de 29 de janeiro e a madrugada do dia 30, logo após o assassinato do policial militar Cristiano Bottino, na zona norte de Londrina.

 As investigações apontam para participação de oito policiais militares na série de mortes. Dois dos oito policiais presos foram indiciados por porte de munição ilegal, pagaram fiança e foram liberados. Os envolvidos serão indiciados por homicídio qualificado e fraude processual.

A investigação apontou ainda fortes indícios de falsos confrontos nos quais os policiais militares detidos teriam participado.

Após exames de balística feitos pela Polícia Científica nas armas apreendidas durante o trabalho de investigação, constatou-se que alguns dos armamentos foram usados na noite dos crimes, mas também em supostos confrontos posteriores em que os policiais presos se envolveram. O Laboratório de Balística Forense realizou mais de 1.700 confrontos e análises entre os 37 estojos e 48 projéteis que foram encaminhados ao longo da investigação.