27°
Máx
13°
Min

Ônibus de tragédia na BR-369 não tinha autorização para viajar

Ônibus de tragédia na BR-369 não tinha autorização para viajar

A PRF divulgou nesta manhã uma nota com os relatos preliminares da ocorrência envolvendo um ônibus, na BR-369, em Mamborê.

Segundo as apurações, o veículo não tinha autorização para fazer a viagem até o Paraguai. Nele estavam vários compristas que saíram de São Paulo.

Nove pessoas morreram e outras mais de 20 ficaram feridas.

Confira a nota na íntegra:

Nove pessoas morreram e pelo menos 24 ficaram feridas em um acidente que envolveu um ônibus na madrugada deste sábado (9) em Mamborê (PR), cidade distante cerca de 490 quilômetros de Curitiba.

O acidente ocorreu por volta de 1h45 da madrugada, no quilômetro 403 da BR 369. As informações são da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Um ônibus com placas de Dracena (SP) que seguia de Presidente Prudente (SP) para Foz do Iguaçu (PR) cruzou a pista e colidiu contra uma árvore.

O local do acidente fica a cerca de 25 quilômetros de Campo Mourão. Entre os mortos estão cinco homens e quatro mulheres. Não havia nenhuma criança a bordo.

Alguns ocupantes do ônibus relataram que teriam sido acordados pelo barulho de disparos de arma de fogo, momentos antes de o motorista perder o controle do veículo, revelando uma possível tentativa de assalto. O grupo faria compras no Paraguai.

Dois veículos estariam envolvidos no crime. Ainda não é possível dizer se o motorista foi atingido por algum projétil. Ele está entre os mortos.

Com a força do impacto, a parte frontal do ônibus ficou totalmente destruída e as poltronas dos passageiros se soltaram. Os feridos foram levados para a Santa Casa e o Pronto Socorro de Campo Mourão.

O IML (Instituto Médico Legal) de Campo Mourão fará a identifição dos corpos. A pista ficou totalmente interditada até as 4h30 da madrugada, quando meia pista foi liberada ao fluxo de veículos.

O dono do ônibus está entre as vítimas feridas. Uma verificação preliminar da PRF aponta que o veículo não tinha autorização da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) para realizar a viagem.

Por isso, a PRF ainda não tem condições de precisar o número exato de pessoas que estavam dentro do veículo.