23°
Máx
12°
Min

“Operação Água Viva” inibe crimes ambientais

(Foto: Polícia Militar)  - “Operação Água Viva” inibe crimes ambientais
(Foto: Polícia Militar)

Materiais utilizados na prática de pesca indevida foram apreendidos, durante o fim de semana, nas regiões Oeste e Sudeste do Paraná. A Operação Água Viva foi realizada pela equipe da 5ª Companhia do Batalhão de Polícia Militar Ambiental (BPMA) e encontrou cerca de 2.000 metros de rede de pesca sem identificação pelo Instituto Ambiental do Paraná (IAP), além de 330 metros de espinhel e 45 anzóis.

O objetivo da ação foi inibir crimes ambientais. Foram mobilizadas equipes especializadas em patrulhamento aquático e por terra, que estiveram nos lagos de Itaipu, Salto Caxias e Salto Santiago, e no Parque Nacional do Iguaçu, no município de São Miguel do Iguaçu.

Uma das maiores preocupações é com a piracema e a pesca indevida. “Até o fevereiro do ano que vem ocorre o momento em que os peixes sobem até a cabeceira dos rios para se reproduzirem, então a captura dos mesmos corrompe o período de produção dos peixes e influencia a pesca do ano que vem”, explica o tenente Rildo Fausto Kops Neto, oficial de Relações Públicas do BPMA.

O tenente destaca ainda que existe a constante ação policial fora do período de piracema, em relação às restrições para a pesca legal. “Não são todos que podem pescar e, também, há lugares que não é permitida essa prática. Por isso, patrulhamos intensamente para evitar esse tipo de crime ambiental”.

Os materiais apreendidos serão destruídos ou reciclados pela equipe de policiais. Além da rede de pesca, espinhel e dos anzóis, foram apreendidos animais silvestres abatidos e uma espingarda. “Inclusive um tatu galinho, animal nativo e proibido para caça, foi encontrado”, acrescenta o tenente.

Colaboração Daniela Borsuk/ Polícia Militar