24°
Máx
17°
Min

Operação desarticula quadrilha de tráfico de ecstasy

Operação Nest cumpre oito mandados de prisão (Foto: Divulgação) - Operação desarticula quadrilha de tráfico de ecstasy
Operação Nest cumpre oito mandados de prisão (Foto: Divulgação)

Após três meses de investigações, a Polícia Civil deflagrou nesta segunda-feira (14) a operação “Nest”, que desmantelou uma quadrilha de traficantes de ecstasy. Policiais civis do 7.º Distrito Policial (DP) de Curitiba e da delegacia de Colombo cumpriram oito mandados de prisão temporária. 

As investigações começaram em dezembro do ano passado, quando policiais do 7.º DP prenderam Francisco Aparecido Rodrigues, 30 anos, Ele foi flagrado com 420 comprimidos de ecstasy, uma pequena quantidade de cocaína, anabolizantes e uma balança de precisão.

Após a prisão de Rodrigues, novas investigações resultaram na prisão de Willian Rafael Pereira dos Santos, 26 anos; Philipe Penteado Escobar (21); Ramon Henrique Oliveira Silva (26); Jefferson Destro (30); Wilson Gomes Neto (34); Helen Thais Arnold (24); Elcio Cristiano Xavier (29) e Willian Borges de Barros de Siqueira (27).

Siqueira responde ainda pelo crime federal de moeda falsa. Ele foi preso em flagrante no dia 10 de março deste ano com cerca de R$ 4 mil em notas falsas. Xavier também está preso desde o dia 5 deste mês. Com ele, a polícia apreendeu 500 comprimidos de ecstasy, 14 pontos de LSD e sete papelotes de Ketamina, outro entorpecente sintético.

”Os mandados de prisão temporária contra os dois foram cumpridos, assim como os outros seis mandados onde os suspeitos foram presos nesta manhã”, explicou o delegado-titular do 7.º DP, Matheus Laiola.

Ao cumprir os mandados, a Polícia Civil prendeu Helen em flagrante por tráfico de drogas. Com ela a equipe policial localizou 19 comprimidos de ecstasy, além de uma pequena quantidade de maconha.

Funções

Segundo o delegado, cada integrante tinha uma função dentro da quadrilha e o ecstasy era comercializado em festas raves pelo valor de até R$ 100 a unidade. Laiola informou ainda que o prazo de 30 dias da prisão temporária é o necessário para avançar nas investigações, responsabilizando criminalmente os detidos durante Operação Nest. O nome foi escolhido em referência a uma figura contida nos comprimidos de ecstasy apreendidos com Rodrigues. 

Todos os investigados serão indiciados por tráfico de drogas e associação criminosa. Se condenados, poderão pegar até 25 anos de prisão.

Informações Polícia Civil PR