21°
Máx
17°
Min

Operação Quijarro, da Polícia Federal, cumpre mandados judiciais em Londrina e Araucária

Operação tenta desarticular um esquema internacional de tráfico de drogas (Foto: Arquivo / Agência Brasil) - Operação Quijarro cumpre mandados em Londrina e Araucária
Operação tenta desarticular um esquema internacional de tráfico de drogas (Foto: Arquivo / Agência Brasil)

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta quarta-feira (29), a Operação Quijarro em Londrina e Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba, além de cidades do Mato Grosso do Sul (Corumbá) e São Paulo (Presidente Prudente e São Paulo capital). O objetivo é desarticular uma organização criminosa internacional de tráfico de drogas e lavagem de dinheiro.

Cerca de 150 policiais federais cumprem 81 mandados judiciais, sendo 14 de prisão preventiva, 17 de busca e apreensão em imóveis, 43 de busca e apreensão de veículos e sete de condução coercitiva. A PF em Londrina é a responsável pela condução da operação.

As investigações, que começaram em janeiro de 2015, apontaram que um dos grupos responsáveis pela logística do transporte da cocaína estava instalado no norte do Paraná, possuindo ramificações no Brasil, Bolívia, Colômbia e Espanha. A PF, em cooperação internacional com a polícia boliviana, conseguiu realizar a prisão dos traficantes mais procurados daquele país, responsáveis pelo ingresso de duas toneladas de cocaína por mês no Brasil.

Segundo a Polícia Federal, a cocaína era transportada em caminhões e carretas com fundos falsos. O grupo fazia simulação de cargas lícitas para driblar a fiscalização. Os motoristas destes veículos já tinham conhecimento de que transportavam a substância entorpecente.

A PF informou que, durante os trabalhos, mais de três toneladas de cocaína foram apreendidas, cerca de US$ 10 milhões foram sequestrados do núcleo boliviano da operação. Também foram identificados no Brasil os imóveis que eram utilizados como entrepostos para o carregamento, descarregamento e confecção de “fundos falsos”. Até agora, foram sequestrados sete imóveis no Brasil e bloqueadas diversas contas bancárias dos investigados.

De acordo com a Polícia Federal, os presos responderão pelos crimes de tráfico internacional de drogas, lavagem de dinheiro, associação para o tráfico, falsificação de documentos públicos e privados, furto, roubo, homicídio e organização criminosa, com penas somadas que passam de 20 anos de prisão.

Nome

A denominação Operação Quijarro é uma referência ao fato de que a organização criminosa investigada efetuava o ingresso da cocaína no Brasil através da cidade de Puerto Quijarro, na Bolívia, fronteira com a cidade de Corumbá (Mato Grosso do Sul). Mais detalhes sobre a operação serão divulgados pela Polícia Federal em Londrina ainda nesta quarta-feira.

Colaboração Polícia Federal