22°
Máx
16°
Min

Operação “Volta às Aulas” busca quadrilha que falsificava diplomas

(Foto: Arquivo 1ª fase operação - Carlos Soares/DPC) - Operação “Volta às Aulas” busca quadrilha que falsificava diplomas
(Foto: Arquivo 1ª fase operação - Carlos Soares/DPC)

A Polícia Civil deflagrou, na manhã desta quarta-feira (21), a segunda fase da operação “Volta às Aulas”. Centro e vinte policiais cumprem nove mandados de prisão temporária, nove de condução coercitiva e 24 de busca e apreensão em oito cidades do Paraná, duas do Rio de Janeiro e uma no Mato Grosso. Entre os mandados de condução coercitiva está o de uma servidora da Secretaria de Estado da Educação.

Segundo informações da assessoria de imprensa da Secretaria de Estado de Segurança Pública, seis pessoas já foram presas nesta manhã, incluindo o dono do Instituto Brasileiro de Ensino a Distância (Ibed), uma das instituições que já havia sido investigada na primeira fase desta operação, realizada em dezembro de 2015.

(Foto: Divulgação)(Foto: Divulgação)

O objetivo da operação é desarticular uma quadrilha suspeita de falsificar certificados e históricos escolares na modalidade de educação de jovens e adultos a distância. O grupo atua no comércio clandestino de diplomas e certificados. Os mandados judiciais são cumpridos em Curitiba, Pinhais, São José dos Pinhais, Ponta Grossa, Piraí do Sul, Guarapuava, Londrina e Maringá (Paraná), Rio de Janeiro e Nova Iguaçu (Rio de Janeiro) e Cuiabá (Mato Grosso).

Segundo a Polícia Civil, dez cursos são alvos desta fase da operação. Alguns deles não tinham autorização para emitir tais documentos, mas, mesmo assim, cobravam até R$ 1,7 mil de alunos que tivessem interesse nos diplomas. Apenas cinco das 13 instituições alvos da operação tinham autorização para emitir certificados. Cerca de 350 alunos estão sendo investigados para saber se tinham ciência do esquema criminoso.

Os mandados judiciais foram expedidos após investigações do Núcleo de Repressão a Crimes Econômicos (Nurce). Os documentos e depoimentos colhidos na primeira fase desta operação permitiram a identificação da amplitude do esquema criminoso, segundo o delegado Renato Bastos Figueroa.

Os detalhes sobre a operação serão repassados ainda nesta quarta-feira pela Polícia Civil.

Colaboração Polícia Civil