21°
Máx
17°
Min

Paciente morre enquanto esperava por atendimento em UPA

(Foto: Google Street View) - Paciente morre enquanto esperava por atendimento em UPA
(Foto: Google Street View)

Um paciente morreu nesta quarta-feira (17) enquanto esperava por atendimento na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Fazendinha. A família de Pedro Humberto Dias, de 71 anos, alega que mesmo passando mal ele teve que aguardar durante duas horas.

Dias chegou na UPA às 7h15 de ontem. Em uma publicação no Facebook, a filha do paciente contou que ele foi dirigindo o próprio carro, já com início de parada cardíaca. “Ele foi atendido duas horas depois, quando caiu inconsciente”, escreveu Débora Dias. “Ele chegou às 7h15 e aguentou até as 9h sentadinho a espera de um atendimento”.

O paciente recebeu uma pulseira de classificação de atendimento como situação “Urgente”, em que a previsão de espera é de uma hora. Em nota, a secretaria municipal de Saúde informou que Dias “foi chamado algumas vezes para atendimento médico, mas não compareceu ao consultório”.

“Ele foi atendido novamente depois de novo contato do acompanhante com a equipe de saúde. Por volta das 11h20, Dias teve uma parada cardíaca e foi encaminhado diretamente para a sala de emergência da UPA. Após intervenção médica, os batimentos cardíacos foram retomados, porém, ele teve uma nova parada e acabou falecendo, às 11h30”, informou a nota.

A secretaria informou ainda que “o caso será avaliado por um comitê interno para verificar o atendimento prestado. Caso seja constatada alguma falha no serviço ofertado, a pasta tomará as medidas cabíveis.”

Demora moral

Há pouco mais de um ano outra paciente morreu enquanto esperava por atendimento na mesma unidade. Maria da Luz das Chagas dos Santos estava acompanhada do marido quando saiu para ir a uma farmácia do outro lado da rua comprar medicamentos para aliviar as dores na cabeça e no peito que ela sentia.

Assim que chegou ao estabelecimento, Maria da Luz passou mal e ninguém da equipe de plantão foi ao local para socorrer a paciente. Ela morreu horas depois.

Um enfermeiro foi indiciado pela morte da paciente. Ele responde por homicídio culposo, por conta da negligência no atendimento.