24°
Máx
17°
Min

Paraná registra aumento de 28% de casos de dengue em apenas uma semana

Movimento Hora H, de combate ao mosquito Aedes aegypti, acontece neste sábado (06) (foto: AEN) - Aumento no número de casos de dengue no Paraná
Movimento Hora H, de combate ao mosquito Aedes aegypti, acontece neste sábado (06) (foto: AEN)

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) divulgou, nesta terça-feira (02), que o Paraná possui 3.444 casos confirmados de dengue, com um aumento de 28% no número de infectados em relação à semana passada. Onze municípios continuam com o status de epidemia. A maior parte deles está nas regiões norte e noroeste do Paraná, com exceção de Paranaguá, no litoral. As informações são referentes ao período de agosto de 2015 a 02 de fevereiro deste ano.

Foz do Iguaçu, na região oeste, é o município paranaense com o maior número de casos autóctones (contraídos dentro da própria cidade). São 562 registros, contra 385 na semana passada. Este aumento significativo em um curto período fez com que Foz do Iguaçu decretasse situação de urgência. Até o momento, 324 municípios paranaenses possuem notificações de casos de dengue, sendo que em 168 há casos confirmados.

Zika vírus

Segundo a Sesa, foi descartado um caso suspeito de microcefalia que poderia ter relação com o zika vírus, após análise do Grupo Técnico de Microcefalia da Secretaria Estadual da Saúde. Foram notificados 10 casos suspeitos de microcefalia, em sete cidades paranaenses, desde o fim do ano passado.

A Sesa recebeu a notificação de 10 casos suspeitos de microcefalia, em sete municípios, desde dezembro de 2015

Oito deles foram desconsiderados por não estarem dentro dos parâmetros divulgados pelo Ministério da Saúde. Em outro caso, os exames não apontaram a presença do zika vírus. Somente um registro segue em investigação.


Combate ao mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya deve ser constante (foto: AEN)

Mobilização

Neste sábado (06), diferentes órgãos públicos e entidades civis organizam o movimento Hora H, com o objetivo de incentivar o combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya. A campanha pede para que a população vistorie suas casas e outros locais que podem apresentar acúmulo de água e se transformar em criadouro do mosquito.