21°
Máx
17°
Min

Parte das linhas de ônibus de Araucária não opera hoje

(Foto: Divulgação / Sindimoc) - Parte das linhas de ônibus de Araucária não opera hoje
(Foto: Divulgação / Sindimoc)

Motoristas e cobradores da empresa Tindiquera, em Araucária, resolveram dar início à uma paralisação nesta terça-feira (27). Com isto, 30 linhas de ônibus que atuam apenas dentro da cidade não tiveram operação. Informações do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Curitiba e Região (Sindimoc) indicam 80 trabalhadores não receberam o adiantamento salarial no dia 20 deste mês. A empresa conta com 320 funcionários.

De acordo com o sindicato, a empresa havia se comprometido de quitar o débito hoje, o que não aconteceu até o momento de motoristas e cobradores chegarem para trabalhar. Por isto, eles decidiram pela paralisação. Os ônibus não saíram da garagem.

A prefeitura de Araucária informou que não possui débitos com a Tindiquera. “Tivemos uma reunião ontem no Sindimoc e ficou acordado que a empresa depositaria hoje. Esta situação nos causou estranheza porque os pagamentos estavam em dia”, conta Pedro Rodrigues Neto, secretário municipal de Comunicação Social.

De acordo com ele, a empresa chegou a alegar que uma nota não foi paga pela prefeitura. No entanto, esta nota não foi emitida. “Esta nota foi emitida ontem à noite. De qualquer maneira, o valor é pequeno e disto não dependeria o pagamento aos trabalhadores. Por parte da prefeitura está tudo ok”, salientou Rodrigues Neto. Ele ainda afirmou que a administração municipal aguarda o desfecho do caso.

O Sindicato das Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Setransp) foi procurado pela reportagem do Massa News e informou, via assessoria de imprensa, que vai se posicionar sobre a situação por meio de nota.

Atualização

A Viação Tindiquera, por meio de nota divulgada pela assessoria de imprensa, informou que "foi realizada ontem (26) uma reunião com representantes dos trabalhadores, da Companhia Municipal Transporte Coletivo de Araucária (CMTC) e da empresa. No fim da manhã, ficou acertado que a CMTC faria um repasse para a empresa. No entanto, embora tivesse toda a tarde para fazê-lo, somente às 16h58 a CMTC enviou ofício à empresa solicitando, antes do repasse, a emissão de notas fiscais para, após isso, realizar a transferência. A Viação Tindiquera só recebeu o repasse às 8h48 da manhã desta terça-feira e está providenciando o mais rápido possível a transferência do valor para a conta dos trabalhadores".

A empresa alega que, por parte dela, não houve qualquer tipo atraso. "Houve, sim, uma incapacidade da CMTC de realizar o repasse à empresa em tempo hábil, para que os trabalhadores recebessem o dinheiro ainda ontem. Aliás, a empresa ainda tem a nota fiscal da primeira dezena de agosto sem liquidação – isto é, existem repasses da CMTC atrasados há cerca de 50 dias. A tentativa de colocar os trabalhadores e a população contra a Viação Tindiquera não vai funcionar, pois os extratos provam que os recursos só chegaram nesta terça-feira à empresa", traz a nota.