22°
Máx
14°
Min

Parto humanizado e doulas serão debatidos em audiência na Câmara de Vereadores

Foto: Divulgação - Parto humanizado e doulas serão debatidos em audiência
Foto: Divulgação

O Plenário da Câmara de Vereadores de Cascavel receberá, na próxima quarta-feira (3), audiência pública que tratará de políticas públicas de humanização do parto e acompanhamento de doulas às gestantes que passarão por este procedimento. Promovido pela Comissão de Saúde e Assistência Social da Casa de Leis, o encontro tem início às 19 horas e é aberto a toda a comunidade.

Entre os apoiadores do evento está o Grupo de Apoio à Gestante e ao Parto Ativo (Gesta/Cascavel), criado há 5 anos com a finalidade de ajudar mulheres-mães do período gestacional à maternidade. 

Dezenas de profissionais que empregam seus conhecimentos profissionais para dar suporte físico e emocional à mãe, ao recém-nascido e à sua família antes, durante e depois do parto integram a organização.

O ponto de partida do debate será o projeto de lei 56/2016, o qual prevê que todos os hospitais e maternidades de Cascavel (públicos e privados) devem permitir a presença das doulas no acompanhamento das mães em trabalho de parto. 

A proposta, de autoria do vereador Professor Paulino Pereira da Luz (PT) e assinada por todos os seus pares, foi protocolada na Casa de Leis na primeira quinzena de junho e contou com o apoio de integrantes da Gesta/Cascavel em sua elaboração.

O que é doula?

De origem grega, o nome "doula" significa “mulher que serve” e seu papel é oferecer suporte físico e emocional à parturiente, possibilitando que esta se sinta segura e tranquila para um dos grandes momentos da sua vida: o nascimento de um filho. A doula não substitui o acompanhante (nem pode tomar decisões em nome da mulher), não tem formação em obstetrícia e sua presença permite que as enfermeiras possam se concentrar nas atividades próprias de sua formação.

No entanto, a doula está plenamente apta para oferecer alívio para as dores das contrações por meio de métodos não farmacológicos, como massagens, técnicas de relaxamento e respiração, exercícios, banhos e imersão em água quente, e dicas de posições durante o trabalho de parto e o parto. Além disso, oferece apoio emocional e encoraja a mulher a se lembrar de seu dom natural de dar a luz.

Diversos estudos científicos apontam para os benefícios relativos à presença desta profissional no pré-natal e no parto, entre elas: redução de 50% nos índices de cesáreas e de 40% no uso de fórceps, maior sucesso na amamentação, e queda nos casos de problemas psicológicos no pós-parto, tais como depressão, ansiedade e baixo autoestima. 

Apesar de tantas vantagens, a maioria dos estabelecimentos hospitalares hesitam em permitir que a doula acompanhe a parturiente, obrigando-lhe a escolher entre a presença da profissional ou do companheiro ou de algum familiar.

Colaboração: Assessoria de imprensa