26°
Máx
19°
Min

Patrulha Maria da Penha já prestou mais de 350 atendimentos em Londrina

(foto: N.Com/Divulgação) - Patrulha Maria da Penha já prestou mais de 350 atendimentos
(foto: N.Com/Divulgação)

A Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres apresentou um diagnóstico do Programa Patrulha Maria da Penha, durante o Estágio de Qualificação Profissional da Guarda Municipal de Londrina, que iniciou na última semana. O objetivo do levantamento foi saber como está sendo a experiência dos Guardas Municipais que atuam na Patrulha, para subsidiar os novos projetos de capacitação e aprimoramento do serviço.

Segundo dados do diagnóstico, o efetivo que atua no Programa Patrulha Maria da Penha e que participou da atividade diagnóstica caracteriza-se predominantemente por homens. Os participantes, em sua maioria, concentram-se na faixa etária entre 24 e 41 anos; têm nível de escolaridade superior completo ou em curso e estão na Guarda entre dois e quatro anos.

A Patrulha Maria da Penha foi implantada no Município no dia 6 de julho 2015, para atender os casos de mulheres que contam com medidas protetivas de urgência expedidas judicialmente, com o objetivo de acompanhar e garantir o cumprimento das medidas, reprimindo a prática da violência.

De acordo com dados do Grupo de Comunicação e Monitoramento (GCOM), da Guarda Municipal de Londrina, desde sua implantação até o dia 19 de setembro de 2016, a Patrulha Maria da Penha prestou 356 atendimentos.

Desde total, foram 177 orientações a vítimas, com deslocamento da viatura da Guarda Municipal até o local da agressão; 77 informações por telefone, para esclarecimento de dúvidas e 59 encaminhamentos para a Delegacia de Plantão, para demais providências. Outros 42 casos foram repassados para a Polícia Militar fazer o atendimento, pois a vítima não tinha medida protetiva expedida pela justiça, e também foi registrada uma ligação perdida.

Foram 105 ligações da região sul, 98 da norte, 52 da região central, 43 da leste, 34 da oeste e 24 dos distritos. A maior parte dos atendimentos (186) aconteceu no período diurno, das 6 às 18 horas, e o restante (170) no período noturno, das 18 às 6 horas.

Como solicitar

O serviço da Patrulha Maria da Penha pode ser acionado pelos números 153, da Guarda Municipal (quando já há medidas protetivas expedidas pela justiça) e 190 da Polícia Militar (para casos novos de agressão, quando a vítima ainda não conta com medidas de proteção).

O atendimento é feito por duplas mistas formadas por um agente homem e uma agente mulher da Guarda Municipal. A Patrulha funciona durante 24 horas e as duplas trabalham em esquema de revezamento, com jornadas de 12 horas cada.

A Patrulha Maria da Penha é um projeto idealizado de forma conjunta pela Prefeitura de Londrina, por meio das secretarias municipais de Políticas para as Mulheres e de Defesa Social, com a Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar (CEVID), do Tribunal de Justiça do Estado do Paraná.

(com informações do Núcleo de Comunicação da Prefeitura de Londrina)