28°
Máx
17°
Min

Piloto pode ter passado mal, diz Instituto de Criminalística

O piloto que estava a bordo do avião que caiu próximo ao Aeroporto Regional de Maringá, durante a Feira Internacional de Aviação, pode ter passado mal durante a apresentação. Essa é uma hipótese levantada pelo Instituto de Criminalística (IC).

Em entrevista ao Massanews, o perito Luiz Clemente,  de IC de Maringá, informou que o tipo de acrobacia que Luiz Carlos Basson Dell’Aglio executava pode provocar desmaios. “Aquele tipo de acrobacia pode interferir na pressão sanguínea, ou seja, pode gerar falta de oxigênio no cérebro e, assim, o organismo entra em colapso”, disse.

Como a queda ocorreu de bico e em alta velocidade, o avião penetrou a cerca de 5 metros da terra. “Apenas a extremidade da aeronave ficou visível. Os destroços do avião serão analisados para que seja esclarecido o que de fato aconteceu”.

Como trata-se de um acidente aéreo, a investigação será de responsabilidade do Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes (Seripa), órgão ligado à Força Aérea Brasileira.

O filho do piloto já compareceu ao Instituto Médico Legal (IML) a fim de fazer os procedimentos para a liberação do corpo. O velório, segundo informações de familiares, deve acontecer em Ponta Grossa.

Colaboração: Rogério Moraes e Claudemir José/Rede Massa.