22°
Máx
16°
Min

Pixuleco será inflado pela 1º vez nesta sexta em Londrina

(foto: André Tambucci/ Fotos Públicas) - Pixuleco será inflado pela 1º vez nesta sexta em Londrina
(foto: André Tambucci/ Fotos Públicas)

O movimento Viva Londrina adiou para esta sexta-feira (15) a ‘estreia’ do Pixuleco, boneco inflável do ex-presidente Lula vestido de presidiário. O nome do boneco faz alusão a um termo usado pelo ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto como sinônimo de propina, e já batizou uma das operações da Lava Jato.

O boneco de oito metros de altura será inflado pela primeira vez a partir das 16h na rotatória entre as avenidas Ayrton Senna e Ernani Lacerda de Athayde, na Gleba Palhano, zona sul de Londrina.

Os custos para confecção do boneco, feito em São Paulo, foram bancados por empresários locais.

Para domingo (17), data da votação do processo de impeachment no plenário da Câmara dos Deputados, o movimento pretende se reunir a partir das 11h no anfiteatro do Zerão, ficando até o fim da votação com um caminhão de som e uma bandeira escrita “Impeachment Já” de 200 metros quadrados. Confira abaixo como será o rito do processo de impeachment:

Início na sexta-feira (15)

O processo começará nesta sexta-feira, a partir das 8h55, e a votação propriamente dita ocorrerá no domingo, à tarde, e será oral, quando cada deputado será chamado ao centro do Plenário para declarar o seu voto.

Acusação e defesa

Depois da abertura da sessão, na sexta, serão destinados 25 minutos para os autores da denúncia contra a presidente, por suposto crime de responsabilidade, e mais 25 minutos para a defesa.

A defesa poderá ser feita por um advogado designado, conhecido como advogado dativo, caso o advogado da presidente esteja ausente.

Deputados

Após defesa e acusação, farão pronunciamentos representantes dos 25 partidos com representação na Cãmara. Cada legenda terá uma hora para falar, tempo que será dividido por até cinco parlamentares. Os líderes do Governo e da Minoria não disporão dessa hora. Um partido não pode ceder tempo para outro.

Das 9h até as 11h da sexta-feira, os deputados vão poder se inscrever individualmente para falar a favor e contra o impeachment na sessão do sábado, que começa às 11 horas.

Os líderes, com tempo proporcional ao tamanho da bancada, vão poder falar em qualquer momento da sessão, durante os três dias destinados à votação do processo de impeachment.

Deputados contra e a favor falam no sábado

No sábado (16), a sessão é retomada para a fala. Cada deputado inscrito poderá falar por três minutos. Como na comissão especial, háverá duas listas de inscrição para falar, uma contra e uma a favor do impeachment. A chamada será feita em ordem alternada, um deputado de cada posicionamento.

Sessões podem emendar

No sábado, falarão todos os inscritos na sexta-feira. Se a sessão da sexta-feira durar 25 horas, vai emendar com a de sábado. Nos discursos de deputados inscritos, cada um pode falar por três minutos. Se todos falarem, serão mais 25 horas.

Votação no domingo

No domingo, a sessão será aberta às 14 horas com a fala dos líderes e, logo em seguida, começa o encaminhamento da votação, quando será aberta a votação e a orientação de bancadas. Nessa fase, os líderes terão um minuto para orientar os deputados.

Tempo de voto de cada deputado

Primeiramente, serão chamados nominalmente os deputados da Região Sul, passando pelas demais até se chegar à Região Norte; dentro de cada estado, a chamada seguirá a ordem alfabética dos nomes dos deputados. Assim, os primeiros parlamentares a votar serão os do Rio Grande do Sul, a começar por Afonso Hamm (PP), que já declarou ser favorável ao impeachment de Dilma. Os deputados estudam solução técnica para que a declaração do voto ocorra em no máximo 10 segundos. O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, também vota.

(colaborou Derri Francis/Rede Massa)