28°
Máx
17°
Min

Plano Estadual de Conservação e Cultivo Florestal é debatido em audiência

(Foto: Pedro Oliveira / Alep) - Plano Estadual de Conservação e Cultivo Florestal é debatido em audiência
(Foto: Pedro Oliveira / Alep)

Debater sugestões para a criação de um Plano Estadual de Conservação e Cultivo Florestal. Esse foi o objetivo da audiência pública ocorrida nesta terça-feira (5) no Plenarinho da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), que debateu políticas públicas, planejamento e princípios sustentáveis a serem alcançados para o setor florestal no Paraná. No encontro, que foi organizado pelo Bloco Parlamentar Agropecuário da Alep, liderado pelo deputado Claudio Palozi (PSC), também foram discutidas alternativas capazes de garantir oferta equilibrada com sustentação econômica, proteção ambiental e também desenvolvimento social, itens que devem compor as diretrizes do plano.

“Depois da vigência do novo Código Florestal Brasileiro alguns ajustes são necessários. Temos muitas regiões com florestas nativas intactas e outras áreas com a implementação do reflorestamento. Por isso precisamos de um plano estadual que ajude a orientar os proprietários rurais, no sentido de buscarem soluções seguras que garantam também o retorno necessário e identifiquem alternativas para desenvolver a cultura de reflorestamento”, afirmou Palozi, durante a audiência.

O coordenador estadual de produção florestal do Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural – Emater, Amauri Ferreira Pinto, ressaltou que as políticas públicas voltadas para o setor têm que fornecer ferramentas para que os produtores também tenham a chance de produzir florestas em suas propriedades. “A política pública para o cultivo florestal tem que ter como objetivo ordenar os plantios de floresta, definir quais regiões do estado terão prioridade nesse plantio, apontar em que regiões temos madeira disponível e mostrar qual a forma que nós temos para diminuir os custos para atender o nosso mercado”, explicou

Oportunidade

Para o diretor-executivo da Associação Paranaense de Empresas de Base Florestal (Apre), Carlos Mendes, é preciso desenvolver políticas públicas que ofereçam oportunidades para que as indústrias cheguem às regiões de plantio de florestas. “Quando uma indústria quer se instalar no nosso estado, ela procura regiões como a de Curitiba ou a de Ponta Grosa, por causa da infraestrutura. O que o estado precisa fazer é desenvolver políticas para incentivar a produção de florestas em outras regiões, para que a indústria possa ir para essas áreas. Então tem que se investir em infraestrutura”, ressaltou.

Também participaram da audiência pública o 2º secretário da Alep, deputado Ademir Bier (PMDB), e os deputados Nelson Luersen (PDT) e Maria Victoria (PP).

Colaboração Alep.