22°
Máx
14°
Min

Polícia acredita que reconstituição pode esclarecer dúvidas sobre a morte de Rodrigo Federizzi

(Foto: Ricardo Vilches/Rede Massa) - Ellen chega ‘em casa’ para reconstituição do crime
(Foto: Ricardo Vilches/Rede Massa)

Ellen Homiak já chegou ao apartamento em que morava com a marido Rodrigo Federizzi e o filho do casal, um menino de 9 anos, localizado no Bairro Tatuquara. Desta vez, ela não voltou para casa para descansar com a família, e sim para ‘colaborar’ com a polícia na elucidação do crime de homicídio que vitimou o marido. É a reconstituição do que teria ocorrido no dia em que Federizzi morreu.

A polícia isolou área e juntamente com a acusada do crime e peritos do Instituto de Criminalística, seguiu para o apartamento. De acordo com a polícia, a reconstituição é importante para que não restem dúvidas de como o crime foi executado.

Entenda

A acusada confessou a autoria do crime. À polícia ela afirma que “atirou no marido enquanto ele dormia, depois serrou as pernas, transportou o corpo até uma área rural de Araucária e enterrou as partes em duas covas rasas”. A polícia acredita até o momento, que ela tenha agido sozinha.

(Foto: Ricardo Vilches/Rede Massa)(Foto: Ricardo Vilches/Rede Massa)