22°
Máx
14°
Min

Polícia afirma que vai investigar tiroteio em São José dos Pinhais

O confronto terminou com quatro suspeitos mortos e um policial ferido (Foto: João Carlos Frigério/Plantão 190) - Polícia afirma que vai investigar tiroteio em São José dos Pinhais
O confronto terminou com quatro suspeitos mortos e um policial ferido (Foto: João Carlos Frigério/Plantão 190)

A Polícia Militar se manifestou a respeito do tiroteio em São José dos Pinhais, que aconteceu na madruga desta sexta feira (5) e que terminou com quatro suspeitos mortos, um policial e ainda dois profissionais da imprensa feridos, entre eles um repórter da Rede Massa.

Segundo a assessoria de imprensa da corporação, a ação policial vai ser investigada por meio de um inquérito, algo de praxe em situações que envolvem disparos por parte dos policiais. Além disso, a PM ressaltou que respeita a atuação dos profissionais da imprensa e afirmou que vai averiguar a situação envolvendo os jornalistas que ficaram feridos.

A situação começou no Bairro Capão Raso, em Curitiba, no local conhecido como Favela do Papelão, após quatro indivíduos em um veículo Golf de cor preta efetuarem vários tiros em uma casa. A polícia foi acionada e localizou o carro seguindo pela Linha Verde, sendo que na tentativa de abordagem já houve confronto. Os suspeitos, porém, conseguiram fugir e seguiram até o Jardim Ipê em São José dos Pinhais, onde começou uma intensa troca de tiros que resultou nos suspeitos mortos e no policial ferido.

Os jornalistas foram feridos por balas de borracha quando a PM começou a usar bombas de efeito moral e disparar os tiros para conter alguns familiares dos suspeitos mortos, que se revoltaram e começaram um tumulto no local. Segundo Daniel Santos, repórter da Rede Massa, os policiais só perceberam a presença da imprensa depois que a fumaça das bombas diminuiu.

Depois de conter os moradores a polícia refez a área de isolamento do local e seguiu com as buscas a outros quatro suspeitos, que adentraram em uma área de preservação nas proximidades. As buscas seguiram pela madrugada, mas eles não foram localizados. Os mortos foram identificados no local como Reginaldo, conhecido por ‘Tato’; ‘Pingo’; André e Michel.

Colaboração Daniel Santos da Rede Massa.