20°
Máx
14°
Min

Polícia Ambiental prende suspeitos de caça e pesca predatória

Ação neste fim de semana apreendeu mais de 1,3 mil metros de redes e equipamentos de caça e pesca (Foto: Divulgação / Polícia Ambiental) - Polícia Ambiental prende suspeitos de caça e pesca predatória
Ação neste fim de semana apreendeu mais de 1,3 mil metros de redes e equipamentos de caça e pesca (Foto: Divulgação / Polícia Ambiental)

A Polícia Ambiental de Vila Velha realizou neste fim de semana a maior apreensão de armas e equipamentos de pesca predatória no período da piracema (2015/2016). A ação foi desencadeada no sábado (20), no Rio Potinga, em Rebouças, durante a madrugada e levou cerca de 10 horas para ser concluída. Os policiais também fizeram buscas nas cidades de Rio Azul e São Mateus do Sul.

Durante a manhã de sábado, os policiais localizaram diversas redes armadas. Três suspeitos, de 34, 51 e 61 anos, foram abordados em um rancho localizado às margens do rio. No local, foram encontradas uma carabina calibre 22, com uma lanterna e uma mira ótica, além de três estojos deflagrados, 45 munições intactas e um estojo calibre 24. No rancho, foi encontrada também uma armadilha de caça, conhecida como ‘canhão’, uma rede de nylon com 10 metros de comprimento, e quase 4kg de chumbo, entre outros objetos. Os três suspeitos foram conduzidos para a Delegacia de Rebouças.

Além do material de pesca predatória, policiais encontraram armas usadas na caça ilegal (Foto: Divulgação / Polícia Ambiental)

Ainda durante patrulhamento aquático, foram localizadas 76 redes de malhas, entre as quais 12 redes feiticeiras de duas malhas. Ao todo, a Polícia Ambiental encontrou 1372 metros lineares de redes para pesca predatória. O material foi apreendido e encaminhado ao posto da Polícia Ambiental de Vila Velha, em Ponta Grossa, de onde seria enviado para uma entidade responsável pela reciclagem do material.

Os peixes que foram encontrados vivos foram soltos novamente no rio. Foram encontrados também seis quilos de peixes mortos, que acabaram se deteriorando. Os responsáveis por estes materiais não foram localizados.

No total, foram apreendidos mais de 1,3 mil metros de redes pela Polícia Ambiental (Foto: Divulgação / Polícia Ambiental)

A Polícia Ambiental informa que a pesca de espécies nativas no período da piracema, que vai de 1º de novembro a 28 de fevereiro de cada ano, ou com equipamentos proibidos, como é o caso de redes, é considerada crime ambiental, de acordo com o artigo 34 da Lei de Crimes Ambientais (Lei Federal nº 9.605/98). A pena para este tipo de crime é de 01 a 03 anos de reclusão e multa, além de sanções administrativas. Denúncias podem ser feitas ao Posto Policial Militar Ambiental de Vila Velha pelo telefone (42) 3228-1581.

Colaboração Assessoria de Imprensa.