23°
Máx
12°
Min

Polícia do Paraná vai treinar agentes de segurança para as Olimpíadas

(Foto: Divulgação / AEN PR) - Polícia do Paraná vai treinar agentes de segurança para as Olimpíadas
(Foto: Divulgação / AEN PR)

Dois grupos especializados da polícia do Paraná foram convocados para auxiliar na preparação de agentes responsáveis pela segurança nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. A competição começa em 140 dias. 

O Tático Integrado de Grupos de Repressão Especial (Tigre), da Polícia Civil, e o Comando de Operações Especiais (COE), que integra o Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) da Polícia Militar, serão responsáveis por duas das 13 oficinas de treinamento que serão ministradas no mês de maio, no Exercício Inter Agências. 

“É uma satisfação ver nossos grupos de elite da Polícia Civil e Polícia Militar do Paraná como protagonistas, como referências no Brasil. Esta troca de informações e o conhecimento de novos métodos para combater a criminalidade são de extrema importância para aprimorar ainda mais o trabalho das unidades de elite”, avaliou o secretário da Segurança Pública do Paraná, Wagner Mesquita.

Treinamento

O treinamento reunirá grupos policiais especializados do País em Goiânia, sede do Comando de Operações Especiais do Exército Brasileiro. Será um treinamento de elite para agentes de elite.

“O primeiro exercício nesses modos no Brasil ocorreu durante a preparação para a Copa do Mundo de 2014, com várias unidades de operações especiais. O sucesso foi tão grande que, desta vez, mesmo não sendo uma das sedes dos jogos, a Polícia do Paraná foi convidada para difundir as experiências para unidades de elite outros Estados”, explicou o capitão do COE, César Hoinatchi. Além do Rio de Janeiro, as cidades de Manaus, Salvador, Belo Horizonte e Brasília e São Paulo receberão o torneio de futebol dos jogos olímpicos.


(Foto: Divulgação / AEN PR)

O delegado-adjunto do Tigre, Cristiano Quintas, explicou que serão simuladas diversas situações que exijam a intervenção de forças armadas em todo território brasileiro e nas fronteiras, com foco em ações antiterroristas. “Serão reconstituídos alguns cenários, como os dos atentados ocorridos, em novembro de 2015, em Paris, na casa de shows Bataclan e em restaurantes”, disse o delegado. 

Integração

Parte da programação do Exercício Inter Agências foi definida na semana passada, quando os representantes do Tigre e do COE estiveram em Goiás para uma reunião de integração com outros grupos de operações especiais de todo país. Um novo encontro está marcado para o mês de abril.

“A Olimpíada coloca o Brasil no foco do mundo e, por ser um evento de grande proporção, há um trabalho coletivo de vários setores da segurança”, comentou Quintas.

O delegado explicou, ainda, que os grupos táticos de elite do País ficarão de prontidão para uma eventual ocorrência durante a Olimpíada.

Além disso, o Paraná contará com um trabalho específico na fronteira em Foz do Iguaçu, além do alerta para outras unidades devido ao maior movimento de turistas por causa dos Jogos.

Experiência

Em 2011, o Tigre foi o primeiro grupo formado por policiais estaduais a receber um treinamento antiterrorismo no Brasil, com técnicas específicas para atuação em sequestros e em caso de atentados. O treinamento teve como foco a Copa do Mundo de 2014 e outros eventos internacionais, como agora a Olimpíada do Rio.


(Foto: Divulgação / AEN PR)

O COE, especializado em situações de distúrbios civis, resgates, sequestros e controle de rebeliões em estabelecimentos penais, afinou sua preparação para grandes eventos em diversos treinamentos, sendo um deles na Áustria em 2013, focado no Mundial da Fifa em 2014, além de intercâmbio nos Estados Unidos para treinamento de combate ao terrorismo e troca de informações com grupos especializados de outros países.

Colaboração AEN PR.