24°
Máx
17°
Min

Polícia Federal vai investigar confronto entre PM e MST em Quedas do Iguaçu

O ministro da Justiça, Eugênio Aragão, determinou à Polícia Federal (PF) a instauração de um inquérito para apurar a morte de dois integrantes do Movimento Sem Terra na última quinta-feira (7), em Quedas do Iguaçu. Ele também determinou a volta da Força Nacional para a região.

Além da investigação da PF, a Polícia Civil investiga o caso e o Comando-Geral da Polícia Militar (PM) determinou a abertura de um inquérito policial militar para apurar as circunstâncias do confronto.

Confronto

Dois homens morreram no acampamento Dom Tomás Balduíno, localizado na fazenda da empresa de celulose Araupel. Sete pessoas ficaram feridas, cinco já receberam alta do hospital.

O Movimento Sem Terra e a Polícia Militar apresentam versões diferentes para o ocorrido. Com base no depoimento de um integrante do movimento, a PM afirma que o primeiro tiro partiu dos sem terra, contra uma equipe que fazia uma verificação do impacto ambiental no acampamento. Já os integrantes do MST afirmam que foram surpreendidos pelos policiais e seguranças da empresa. Um dos mortos teria sido baleado pelas costas.

A fazenda da Araupel é motivo de conflito desde a primeira ocupação do MST no local, em 1996, quando dois integrantes do movimento também morreram em um confronto com funcionários da empresa. A área onde o MST está acampado atualmente foi ocupada há cerca de dois anos e é razão de briga judicial entre a Araupel e o movimento.

Colaboração Agência Brasil