23°
Máx
12°
Min

Policiais paralisam retirada de explosivos para remoção de combustível

(Foto: Simone Munhoz / Rede Massa) - Policiais paralisam retirada de explosivos para remoção de combustível
(Foto: Simone Munhoz / Rede Massa)

Os Policiais Militares, Civis e o Exército paralisaram, na tarde desta segunda-feira (10), as atividades de retirada dos explosivos do depósito da empresa Explopar, onde houve uma explosão na tarde do último sábado (8), para a remoção dos tanques de combustíveis que estão dentro do depósito, para diminuir os riscos de ocorrer uma nova explosão. O dono da empresa, Milton Lino Silva, foi preso quando chegou nas imediações da empresa para verificar o que havia acontecido. ainda na tarde desta segunda, a Justiça de Bocaiúva do Sul decretou a prisão preventiva de Lino Silva.

Segundo o delegado Mário Sérgio Bradock, responsável pela investigação, cerca de 50 toneladas de explosivos foram apreendidas pela Polícia Civil e enviadas com escolta do Exército para um local seguro, onde ficará à disposição da Justiça.

Ainda de acordo com o delegado, com as ações de remoção e segurança realizadas até o momento, as chances de ocorrer nova detonação no local foram diminuídas.

Nota oficial

Em nota a empresa Explopar informou que recorrerá da decisão que mantém a prisão cautelar do Sr. Milton Lino Silva, dono da empresa. Segundo a nota, “a empresa reafirma que foi vítima de ato criminoso praticado por terceira pessoa e, independentemente da certeza de que a empresa e o Sr. Milton não cometeram nenhum crime, continuará no propósito de buscar mecanismos para reparar os danos sofridos por outras vítimas dos efeitos da explosão”.

Colaboração Simone Munhoz / Rede Massa