22°
Máx
16°
Min

Policiais tem cabeças colocadas a prêmio na Vila Torres

(Foto: Rede Massa) - Policiais tem cabeças colocadas a prêmio na Vila Torres
(Foto: Rede Massa)

Um oficial da Polícia Militar do Paraná procurou a reportagem do Tribuna da Massa para fazer uma série de denúncias sobre situações que acontecem na região da Vila Torres em Curitiba.

Gilson Carlos da Silva, o Tevez como era conhecido, era um dos patrões do tráfico de drogas na Vila Torres. Em outubro de 2015 ele foi baleado na cabeça, mas sobreviveu. Na época ele disse que tinha o corpo fechado. No dia 3 de março,Tevez teve sua carreira encerrada. Ele foi atropelado, arrastado e assassinado com mais de dez tiros na cabeça.

Após a morte de Tevez, quem assumiu foi um rapaz identificado por Douglas. Incomodado com a presença de bons policiais que não são coniventes com o tráfico de drogas, Douglas teria oferecido um abatimento na dívida de drogas. Cada usuário que ligasse ou fosse até a corregedoria da Polícia Militar e denuncias se os bons policiais, teria o valor de R$50 reais abatidos de sua dívida com o traficante.

O número de denúncias contra os bons policiais disparou. A resposta da Polícia Militar foi rápida, na segunda-feira (14) Douglas foi preso com um revólver e contra ele havia um mandado de prisão por tráfico de drogas.

Após a prisão de Douglas, o mesmo teria oferecido cinco mil reais para quem matasse os policiais que o prenderam ou que inibem o tráfico de drogas na comunidade.

O oficial que fez a denúncia reforça que a escala de trabalho dos bons policiais tem vazado para os traficantes, para que eles saibam que naquele dia o trabalho de patrulhamento seja prejudicado e que os traficantes não sejam presos.

A audácia dos traficantes não tem limites, em frente à 5ª Companhia do 12°Batalhão que tem os vidros blindados, os marginais passam efetuando disparos emplacas e lixeiras para intimidar os policiais.

Veja a matéria completa exibida no programa Tribuna da Massa:

Colaboração Plantão 190.