22°
Máx
16°
Min

Por 86 votos a oito, professores da Universidade Estadual de Maringá aprovam greve

Por 86 votos favoráveis a oito contrários, os professores da Universidade Estadual de Maringá (UEM) aprovaram greve por tempo indeterminado a partir de segunda-feira (17). No mesmo dia também paralisam as atividades os servidores técnicos e administrativos da instituição, os docentes da rede estadual e os policiais civis.

Os professores universitários entram em greve para pressionar o governo do Estado pelo pagamento da data-base em janeiro de 2017. A promessa havia sido feita em 2015, como um dos compromissos para acabar com o movimento grevista na ocasião.

Por 86 votos a oito, professores da UEM aprovam greve

Porém, um dia após as eleições municipais deste ano, Beto Richa enviou a emenda 43 à Assembleia Legislativa do Paraná para suspender o reajuste, com a justificativa da necessidade de equilibrar os cofres públicos.

Os servidores entendem que haverá um calote do governo, por isso, aprovaram a paralisação.

Colaboração Kelly Moraes da Rede Massa