22°
Máx
16°
Min

Prefeita de Foz cancela Feira do Livro para investir na festa de Natal

A prefeita em exercício, Ivone Barofaldi, cancelou a Feira do Livro, evento tradicional realizado em Foz do Iguaçu, todos os anos. A justificativa é falta de verba para a realização do evento. O orçamento estimado para a feira, avaliado em R$ 350 mil, foi gasto na Páscoa, no começo do ano.

 “A Feira do Livro é um evento interessantíssimo, mas hoje não temos condições, não temos recurso disponível. Eu tenho muita pena de não poder realizar o evento, mas para a concretização da feira, teríamos que gastar de R$ 300 a 350 mil reais, o que não foi planejado no início do ano. Chamei o Perci Lima para assumir a presidência da Fundação Cultural, por que ele é contador, entende e sabe a situação que estamos enfrentando. Tentamos resolver o problema,mas infelizmente nossa sugestão não foi acatada”, disse a prefeita.

Uma das hipóteses apresentadas foi realizar a feira na Praça da Bíblia, que já conta com a estrutura do Centro de Convivência do Idoso. “Como a ideia não foi aceita pelos expositores e tendo que escolher entre realizar a feira do livro ou o Natal, optamos pelo Natal”, disse Ivone.

De acordo com Perci, a Fundação Cultural é uma autarquia que possui um dos maiores orçamentos do município. São sete milhões e oitocentos mil reais anuais, onde metade do recurso é reservado para manutenção da sede e pagamento de pessoal, e a outra metade seria destinado para os eventos realizados pela Fundação que são: carnaval, fartal, feira do livro , natal e manutenção dos projetos de cultura. Porém, este ano foi acrescentado mais um evento que de acordo com Perci, não estava no planejamento, a Paixão de Cristo.

O presidente explicou que nos três primeiros eventos do ano, carnaval, Paixão de Cristo e Fartal, foram gastos mais de R$ 3 milhões de reais. Só na última Fartal a despesa foi de um milhão novecentos e oitenta e dois mil reais, já a Paixão de Cristo, custou R$ 380 mil reais para o município. O resultado da falta de planejamento foi o fim do orçamento no meio do ano, explicou.

“Sem planejamento não é possível administrar, por isso que temos a lei de dotação orçamentária. Infelizmente estamos impossibilitados de realizar a Feira do Livro. Mas mesmo assim, sigo com o meu objetivo, que é: mesmo, que não façamos muito, o que está sendo e será feito por mim e pela minha equipe, que seja o correto”, finalizou a prefeita.

Colaboração: Assessoria e Márcio Falcão/Rede Massa.