22°
Máx
17°
Min

Prefeitura de Araucária vai ‘abrir as contas’ para servidores

(Foto: Sifar) - Prefeitura de Araucária vai ‘abrir as contas’ para servidores
(Foto: Sifar)

Os servidores públicos municipais de Araucária, seguem mobilizados por conta da negociação salarial. Na quarta-feira (18), um grupo ocupou o quarto andar da Prefeitura e chegou a passar a noite nas dependências do Paço. Nesta manhã (19), a Polícia Militar cumpriu a reintegração de posse que foi expedida pela Justiça. Tanto os representantes do Sindicato dos Servidores de Araucária (Sifar), quanto a Assessoria de Comunicação da Prefeitura, afirmaram que toda a ação ocorreu de forma pacífica.

A mobilização ocorre após o anúncio da administração de 3% de reposição salarial. O valor será pago no mês de junho. O projeto será encaminhado à Câmara Municipal para aprovação.

De acordo com o secretário municipal de Comunicação, Pedro Rodrigues Neto, às 15 horas de hoje, a administração recebe uma comissão de servidores para explicar a atual situação das finanças públicas. “O valor de repasse foi decidido após um estudo de viabilidade. Os servidores precisam entender que existe um limite prudencial de gastos e a Lei de Responsabilidade Fiscal. Nós já ultrapassamos esse limite e corremos o risco de gerar problemas até mesmo penal se não seguirmos a lei”, explicou.

Segundo o secretário, além disso, existe ainda o momento de crise financeira, vivenciada não só em Araucária. “Nós temos mais de 5 mil funcionários municipais, não estamos com salários atrasados, décimo terceiro salário em dia, férias, progressões, tudo em ordem. E, o momento de crise tem nos afetado sim. Este momento é de avaliar bem o que é possível”, diz. “A arrecadação caiu, indústria, comércio, todos os setores sofrem com a crise, e com a administração não é diferente. Então, volto a afirmar, o valor que a Prefeitura pode conceder neste momento, é 3%”.

Pedro afirmou que toda a questão será devidamente explicada aos servidores. “Vamos abrir as contas públicas para que eles entendam que não temos condição de aumentar o percentual”.

O secretário avaliou como ‘justa’ a manifestação. “É um direito do servidor e o sindicato está desempenhando o papel dele, por isso mesmo, em respeito aos servidores, vamos conversar com eles e explicar a situação”.

(Foto: Sifar)(Foto: Sifar)