28°
Máx
17°
Min

Presos recebem tablets para aulas dentro da penitenciária de Cruzeiro do Oeste

Em um segundo momento, poderão levar equipamento para celas (Foto: Depen) - Presos recebem tablets para aulas dentro da penitenciária
Em um segundo momento, poderão levar equipamento para celas (Foto: Depen)

Uma novidade inédita no Brasil chegou à Penitenciária Estadual de Cruzeiro do Oeste (Peco). Agora, nas aulas, os presos estão utilizando tablets. O objetivo é ampliar a oferta de escolarização nas unidades prisionais por meio do projeto desenvolvido por professores do Centro Estadual de Educação Básica para Jovens e Adultos (Ceebja).

"Hoje, 44% dos presos no Paraná participam de atividades educacionais. Acreditamos que com o uso desse recurso, consigamos aumentar a oferta educacional, já que parte do conteúdo poderá ser ministrado a distância com o uso da ferramenta tecnológica", explica o diretor do Depen, Luiz Alberto Cartaxo Moura.

De acordo com Cartaxo, a implantação da novidade na Peco vai servir como um projeto-piloto. A intenção é testar a ferramenta, aperfeiçoar e, se der certo, ampliar para todas as unidades do estado.

Projeto 

A ação é fruto de uma parceria do Departamento Penitenciário do Paraná (Depen) com a Secretaria Estadual de Educação. Primeiramente, os presos irão usar os tablets na sala de aula, sob a orientação do professor da disciplina, que fará todo o trabalho de inclusão na utilização desse recurso como um instrumento facilitador da aprendizagem. Em um segundo momento, os presos levarão os tablets para suas celas com as aulas gravadas das disciplinas que estão cursando.

Segurança 

O diretor da Penitenciária Estadual de Cruzeiro do Oeste, Arnobe Lemes dos Reis, esclarece que todos os tablets passaram por adaptações devido ao padrão de segurança. "Trata-se de um livro virtual. Todos os dispositivos de internet, telefonia, câmera filmadora, câmera fotográfica, gravadores de áudio e outros que poderiam comprometer a segurança foram retirados", explicou.

Segundo ele, os presos terão acesso somente às aulas gravadas e aos textos disponibilizados na ferramenta pelos docentes. "Essas ações pedagógicas contribuirão muito para o sucesso dos detentos no estudo e para o processo de ressocialização deles", defendeu Reis.

Colaboração Agência Estadual de Notícias