23°
Máx
12°
Min

PRF pede atenção redobrada aos motoristas que trafegam pela BR-376, na região de Guaratuba

Vazamento de óleo vegetal forçou o bloqueio parcial da pista sentido Curitiba da BR-376 (Foto: Divulgação / PRF) - BR-376 segue parcialmente interditada após grave acidente
Vazamento de óleo vegetal forçou o bloqueio parcial da pista sentido Curitiba da BR-376 (Foto: Divulgação / PRF)

Motoristas que trafegam pela BR-376 nesta segunda-feira (8) devem redobrar os cuidados ao trafegar nos dois sentidos da rodovia. A carga de óleo vegetal do caminhão envolvido no grave acidente ocorrido na manhã de ontem - no qual duas pessoas morreram - vazou para a pista, causando a interdição parcial da estrada na região de Guaratuba.

Segundo informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), uma pista no sentido norte e outra no sentido sul continuam bloqueadas, no Km 668. Não há previsão de liberação completa da rodovia.

O acidente causou a interdição dos dois sentidos da BR-376, neste domingo, por conta do atendimento à ocorrência na pista sentido Santa Catarina e ao vazamento de óleo na pista sentido Curitiba. A fila de veículos na rodovia durou até às 3h desta segunda-feira, conforme a PRF.

O caminhão envolvido no acidente carregava 33 toneladas de óleo vegetal. A carga foi vazando aos poucos para o canteiro central e para a pista sentido norte. A Autopista Litoral Sul, concessionária responsável pelo trecho, dragou parte do óleo e utilizou calcário para evitar que a carga se espalhasse ainda mais pela rodovia.

A PRF divulgou que, durante a madrugada deste domingo, alguns caminhões solicitaram ajuda porque derrapavam na pista sentido norte ao trafegar pelo trecho. Foram utilizados guinchos para auxiliar estes veículos.

Os dois veículos envolvidos no acidente - um caminhão e um Honda Civic - continuam no local.

Imagens das 15h45 de ontem (7), quando os primeiros veículos voltaram a circular pelo quilômetro 668 da BR-376, em Guaratuba (PR). Foram quatro horas de interdição total da rodovia devido a acidente com caminhão. (Fonte: Divulgação)

Com colaboração  Polícia Rodoviária Federal