26°
Máx
19°
Min

Produtores de Leite são capacitados para construção de esterqueiras

(Foto: Divulgação) - Produtores de Leite são capacitados para construção de esterqueiras
(Foto: Divulgação)

Produtores de Irati (85 quilômetros de Ponta Grossa) participaram de uma reunião técnica sobre construção de esterqueiras na comunidade Volta Grande. O instrutor foi o engenheiro agrônomo João de Ribeiro Reis Junior, coordenador regional do Instituto Emater de Curitiba. Essa capacitação faz parte do Programa Manejo do Solo e Águas em Microbacias do Estado do Paraná, que tem como objetivo tornar o acesso a oportunidades de desenvolvimento econômico, produtivo e ambientalmente sustentável.

Os agricultores dessa microbacia foram contemplados com os materiais e as horas máquinas para construção de esterqueiras, que serão dimensionadas e locadas de acordo com a realidade de cada propriedade. Serão beneficiados em torno de 16 produtores. O programa tem trazido benefícios aos agricultores familiares participantes graças a uma parceria entre Emater, Seab e Prefeitura Municipal de Irati.

No dia anterior à reunião, os técnicos Osnei Abel Lopes e Alessandro Trybek da prefeitura, juntamente com os engenheiros agrônomos João Reis e Bruno Krevoruczka estiveram na propriedade do produtor Silvio Fiori, primeiro beneficiário, para seleção do local e acompanhar os trabalhos da retroescavadeira. “Esse é um trabalho que vai permitir ao produtor produzir adubo orgânico a baixo custo e utilizá-lo ao longo do ano nas atividades produtivas existentes na sua propriedade, reduzindo a possibilidade de poluir o meio ambiente, além de melhorar os teores de nutrientes e matéria orgânica do solo”, afirmou Reis.

O evento ocorreu na parte da manhã, inicialmente com a palestra “Instalação de Esterqueiras e seu Manejo para uso como Fertilizante”. Na sequência foi feita uma visita à propriedade para que os participantes observassem as adequações na área de produção e a construção da esterqueira. “Se eu soubesse a quantidade de adubo que estaria produzindo em minha propriedade com esse esterco, do valor que isso representa e que estava jogado fora por achar que esse material só me atrapalhava na atividade leiteira, teria feito antes essas esterqueiras”, observou Fiori, que utilizará os dejetos como fertilizante para pastagens e na lavoura, reduzindo custos com adubo e melhorando a condição do solo da propriedade.

Colaboração Assessoria de Imprensa Emater