27°
Máx
13°
Min

Professora de dança é sequestrada e vive momentos de terror

Uma professora de dança para crianças viveu momentos de terror nesta quinta-feira (28), em Curitiba. Tudo começou no bairro Capão da Imbuia. A jovem de 19 anos saiu da escola de dança por volta das 17h. Após percorrer alguns metros, quando seguia até sua residência, foi abordada por um rapaz armado de faca. Ele se aproximou e pediu para que ela entrasse em um carro escuro com calma. 

Ela foi colocada no carro e encapuzada. No veículo estavam três rapazes, que rodaram várias horas com ela. A garota relatou que eles diziam que tinham que esperar escurecer.

Sem saber o que fazer, um dos rapazes discutiu com outro dizendo que tinha que devolver o carro. Já por volta das 22h30, a jovem então foi retirada do carro e levada até um grande matagal localizado na rua Monsenhor Ivo Zanlorenzi, no bairro Campina do Siqueira. No local ficou apenas um dos rapazes e a garota. 

A vítima relata que o rapaz começou a retirar sua roupa para estuprá-la. Neste momento, ela entrou em luta corporal com o homem, que acabou desferindo uma facada em sua barriga. Ela conseguiu se desvencilhar e correu em meio ao matagal até chegar na rua. Um motociclista que passava ajudou a jovem e chamou a polícia.

O namorado da garota, que estranhou a demora dela chegar em casa, estava na região, pois tinha acesso ao sistema de rastreamento do celular dela. Enquanto a vítima ainda estava no matagal, ele chegou a passar em frente ao local fazendo buscas, porém não a encontrou.

Pouco após ela sair do matagal e ser ajudada por um motoboy, o namorado chegou no local e acionou a Polícia Militar. Os policiais fizeram buscas na região, mas o suspeito não foi encontrado. 

Jovem foi socorrida por uma equipe do Samu. (Foto: João Frigério / Massa News)Jovem foi socorrida por uma equipe do Samu. (Foto: João Frigério / Massa News) 

Muito abalada, ela foi socorrida pelo Samu. Os socorristas constataram que o ferimento na barriga foi superficial. Ela foi liberada e amparada pela família.

Até o momento ninguém foi preso. A polícia agora tenta descobrir o modelo e as placas do carro que ficou durante horas rodando com a professora.