22°
Máx
14°
Min

Professores do Paraná têm paralisações definidas para março e abril

A categoria definiu a Campanha Salarial de 2016 em uma assembleia realizada no fim de janeiro (Foto: divulgação/APP) - Professores do Paraná têm paralisações definidas para março e abril
A categoria definiu a Campanha Salarial de 2016 em uma assembleia realizada no fim de janeiro (Foto: divulgação/APP)

Os professores da Rede Estadual de Ensino aderiram à greve nacional da categoria, promovida pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação, a CNTE. A paralisação nacional vai acontecer nos dias 15, 16 e 17 de março.

No Paraná, os professores só vão cruzar os braços no dia 17. Entretanto, por aqui outra paralisação já foi agendada no dia 29 de abril, para relembrar o confronto entre policiais militares e professores no Centro Cívico, que completa um ano nesta data.

A greve nacional em março tem como pauta as reivindicações salariais das redes estadual e municipais. No Paraná, a APP Sindicato, que representa a categoria, afirmou que vai manter a cobrança para que o salário dos professores e funcionários da rede estadual e das redes municipais atinja o índice do Piso Nacional. “Apesar do reajuste de 10,67%, ainda faltam 7,75% para que o piso seja atingido”, afirmou Hermes Leão, presidente do Sindicato, ao falar sobre a situação dos trabalhadores da Rede Estadual. A reivindicação para os funcionários das redes municipais é de 11,36%.

Além do reajuste, a paralisação nacional também vai realizar uma manifestação contra à terceirização e privatização da educação pública e contra a chamada militarização nas escolas, referente a um episódio que aconteceu em Goiás, fruto de uma parceria entre as Secretarias da Educação e da Segurança do Estado. Com a parceria, os militares ficaram responsáveis pela administração de 12 escolas estaduais, enquanto os professores ficaram apenas com a parte pedagógica.

Já a paralisação do dia 29 de abril vai relembrar o confronto entre policiais militares e professores na mesma data, em 2015, que terminou com mais de 200 pessoas feridas no Centro Cívico. Além disso, será realizado nesta data um ato nacional da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação.

Ocupação na Assembleia Legislativa completa um ano nesta sexta-feira (12)

Vai completar nesta sexta-feira (12) um ano da ocupação na Assembleia Legislativa do Paraná, realizada por professores e funcionários da Rede Estadual de ensino. O movimento tentava impedir que o chamado “pacotaço” do Governo Estadual fosse aprovado na Alep.

Por conta do ‘aniversário’, a APP Sindicato vai realizar uma coletiva de imprensa para falar sobre as conquistas da categoria desde a ocupação. Além disso, a Operação Quadro Negro, que investiga desvios em obras de escolas por todo o estado, também vai ser abordada durante a coletiva.