22°
Máx
17°
Min

Projeto da PRF reduz exploração sexual infantil nos Campos Gerais

O projeto Mapear, desenvolvido pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) no Paraná, busca fazer o mapeamento de locais vulneráveis à exploração sexual infantil nas estradas. O diagnóstico tem sido tão eficaz que na região de Ponta Grossa, a prática chegou a praticamente zero.

“Na nossa região, que engloba Ponta Grossa, Guarapuava, Prudentópolis e cidades adjacentes, há mais de dois, três anos, não temos casos de menores identificados, pelo menos que tenhamos recebido notícias ou que tenham sido flagrados pelo nosso monitoramento”, explica o agente Cavali, da PRF.

É graças à prevenção que os resultados têm sido tão positivos. Após identificar quais os pontos de paradas de caminhoneiros são mais propícios para o crime, a PRF passou a fazer rondas frequentes nesses locais. A simples presença da polícia já é suficiente para inibir essa atitude. “Nós temos na PRF, em conjunto com a Secretaria Nacional de Direitos Humanos e outros órgãos, estamos sempre juntos. O trabalho preventivo é o que nos dá resultado”, completa o agente.

Casos de prostituição infantil são encaminhados para o Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crimes (Nucria), que recebe as denúncias e garante o sigilo absoluto. “Normalmente, esses casos são realmente através de denúncias. Hoje, o maior número de casos atendidos pelo Nucria são situações de estupro de crianças e adolescentes, mas nós também temos essa atribuição de investigar a exploração infantil", explica a delegada do Nucria em Ponta Grossa, Ana Paula Cunha Carvalho.

Colaboração Marrara Laurindo / Rede Massa.