22°
Máx
14°
Min

Projeto da Unicentro propõe troca de livros por materiais de higiene

(Foto: Divulgação) - Projeto da Unicentro propõe troca de livros por materiais de higiene
(Foto: Divulgação)

O Núcleo de Educação a Distância da Unicentro (Nead) da Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro) está propondo uma troca aos acadêmicos da universidade. Os alunos levam para casa um dos livros desenvolvidos para as disciplinas dos cursos ofertados na modalidade de educação a distância e deixam, em contrapartida, um produto de higiene, um brinquedo ou um livro infantil. O material arrecadado vai der doado para entidades filantrópicas da cidade.

A coordenadora da educação a distância da Unicentro, professora Maria Aparecida Crissi Knüppel, explica que os livros foram produzidos para ofertas já encerradas de cursos ministrados via EaD pela universidade. 

“São obras que nós temos, de cursos de educação a distância, de ofertas anteriores, e que a gente teve um saldo de sobra desses livros, por alunos que desistiram no processo. Então, nós temos alguns livros que nós gostaríamos de doar aos nossos estudantes”.

Os cursos oferecidos pela modalidade a distância, segundo a coordenadora do Nead, seguem os mesmos currículos das ofertas presenciais. As obras, desse modo, são produzidas para cada uma das disciplinas, podendo contribuir, também, para a formação dos alunos do ensino presencial. “Nós temos e estamos disponibilizando livros das áreas de Administração, Pedagogia, História, muitos relacionados aos cursos de licenciatura, que serão grandes beneficiários desse processo”.

A troca foi pensada como maneira de possibilitar que os alunos da Unicentro, pouco a pouco, ainda durante a graduação, possam formar suas próprias bibliotecas e, além disso, expandir o acesso ao conhecimento.

“Para nós, não importa que esse material esteja fechado em uma sala, sem uso. É importante que os alunos façam uso deles”, declarou Maria Aparecida.

A execução da feira de trocas é muito simples. Os títulos foram dispostos em bancadas para melhor visualização. O estudante passou, olhou, se interessou, então, pode levar para casa. A única exigência é que, em troca do livro, o aluno deixe um item de higiene pessoal, como shampoo ou sabonete, um brinquedo ou um livro infantil. “A ideia”, complementou Cida, “é deixar que as pessoas vejam, peguem o que gostem e devolvam um outro bem que a gente possa estar repassando a outras pessoas. A ideia é bem simples mesmo, no sentido de responsabilidade social e de fazer uso, realmente, desses materiais para o bem da comunidade”.

Logo nas primeiras horas de Feira, muitos acadêmicos se interessaram pela proposta. Daiane Caetano Talinski, do curso de Pedagogia, foi uma delas. “Vou fazer uma limpa lá em casa, ver o que eu tenho pra trazer e fazer essa troca. A proposta é bem interessante para nós, acadêmicos. Chegar aqui e ver coisas que poderão nos trazer mais embasamento teórico, mais conhecimento”.

Colaboração Assessoria de Imprensa.