27°
Máx
13°
Min

Projeto do DER quer reduzir atropelamento de idosos em Londrina

(foto: Divulgação) - Projeto quer reduzir atropelamento de idosos em Londrina
(foto: Divulgação)

Um programa do Governo do Paraná, em parceria com a iniciativa privada, quer reduzir o número de acidentes de trânsito entre os idosos em Londrina. A Escola Prática Educativa de Trânsito do Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR) e o Serviço Social do Comércio (Sesc) estão repassando dicas a 300 idosos sobre os perigos do trânsito da cidade.

O foco principal é a redução do número de mortes por atropelamentos entre a população com mais de 60 anos. De acordo com as estatísticas da Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização de Londrina (CMTU), os idosos aparecem em maior número entre as vítimas fatais de atropelamento na cidade. Em 2015, dos 36 atropelamentos com mortes, 21 envolviam idosos, o que corresponde a quase 60%.

A gerente regional da Escola de Trânsito do DER-PR na região, Franciele Farias Cardoso, explica que os idosos ficam mais vulneráveis, em função da redução dos reflexos e das dificuldades de visualização e de mobilidade. Para orientá-los a driblar estes problemas, os palestrantes dão dicas de como cruzar uma pista, adotando novas práticas ao transitar em uma via urbana. Uma das sugestões é respeitar a sinalização ou cruzar na faixa de pedestres, prestando atenção no tempo dos sinaleiros.

Franciele contou que este é o segundo ano que trabalham com idosos em parceria com o Sesc. Ela cita que alguns resultados já podem ser colhidos. Em 2015, 21 idosos morreram ao cruzar uma via. Nos cinco primeiros meses deste ano, segundo os dados da CMTU, o número de óbitos por atropelamento entre a população idosa caiu para sete.

Uma das atendidas pelo programa é Maria Graciosa Bianchini da Silva, de 65 anos e moradora da região Norte de Londrina. Bastante ativa, ela conta que costuma ir com frequência ao Sesc e ao Centro da cidade. Uma das suas maiores preocupações é o momento de atravessar a rua. Por isso, acredita que é sempre importante alertar em relação aos riscos no trânsito.

"Com mais carros e motos nas ruas, precisamos estar atentos, principalmente nós, que já passamos dos 60 anos. Devemos dobrar os cuidados", disse Maria Graciosa.

(com assessoria de imprensa)