21°
Máx
17°
Min

Projeto do Trem Pé Vermelho atrai três grupos de empresas nacionais e internacionais

(Foto: Prefeitura de Maringá) - Projeto do Trem Pé Vermelho atrai três grupos de  empresas nacionais e internacionais
(Foto: Prefeitura de Maringá)

O projeto do Trem Pé Vermelho – ferrovia de passageiros que ligará as regiões metropolitanas de Londrina e Maringá – está mais perto de ser concretizado. Três consórcios de empresas demonstraram interesse em realizar os estudos de viabilidade e apresentaram propostas dentro do Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI) do projeto. Os grupos são formados por empresas nacionais e internacionais do setor ferroviário.

As propostas serão analisadas pelo Conselho Gestor de Concessões (CGC) até o fim de março. Após a análise, os nomes das empresas de cada consórcio serão divulgados. A expectativa é de que, caso haja uma ou mais propostas aprovadas, seja possível abrir uma licitação do projeto dentro de um ano.

O projeto do Trem Pé Vermelho foi considerado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES) como o de maior viabilidade econômica entre 14 trechos estudados em todo o País. A previsão é de que sejam transportados mais de 36 mil passageiros por dia.

A ferrovia deve passar por 13 cidades das regiões Norte e Noroeste do Paraná. São cerca de 150 quilômetros cortando os municípios de Paiçandu, Maringá, Sarandi, Marialva, Mandaguari, Jandaia do Sul, Cambira, Apucarana, Arapongas, Rolândia, Cambé, Londrina e Ibiporã. O projeto conta ainda com o apoio das associações comerciais de todas cidades da região.

PMI


O Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI) é um instrumento que permite que a iniciativa privada elabore os estudos técnicos e de viabilidade econômica para os projetos de Parcerias Público-Privadas (PPP). Este processo de estruturação envolve a realização de estudos de viabilidade de demanda, sócioambiental, de engenharia, econômico-financeira e jurídico.

 Pelo PMI, as empresas interessadas financiam esses estudos, apresentando o modelo de contrato que vai ser adotado na PPP, as garantias que o poder público deverá dar e os eventuais desembolsos do governo para a viabilização do projeto.